Bartonelose

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Bartonellosis
Bartonella
Especialidade infectologia
Classificação e recursos externos
CID-10 A44
CID-9 088.0
DiseasesDB 1249
eMedicine med/212
MeSH D001474
A Wikipédia não é um consultório médico. Leia o aviso médico 

Bartonelose se refere às doenças infecto-contagiosas causadas por bactérias do gênero Bartonella. Bartonellas são bactérias gram-negativas, flageladas (10 ou mais flagelos), intracelulares facultativas, aeróbias obrigatórias e oportunistas. Usam artrópodes que se alimentam de sangue, como pulgas, mosquitos e carrapatos, como vetores.[1]

Classificação[editar | editar código-fonte]

Cada espécie de Bartonela causa uma doença diferente[2][3]:

Espécie de Bartonella Portador Doenças
Bartonella bacilliformis humanos verruga peruana (doença de Carrion)
Bartonella quintana humanos Febre das Trincheiras, bacteremia, angiomatose bacilar, endocardite
Bartonella henselae gatos Doença da arranhadura do gato, bacteremia, angiomatose bacilar, endocardite
Bartonella elizabethae roedores Endocardite
Bartonella grahamii ??? Retinite
Bartonella vinsoni cachorros Endocardite e bacteremia
Bartonella washonsis roedores Miocardite
Bartonella clarridgiae gatos Bacteremia
Bartonella rochalimae humanos Síndrome similar à verruga peruana

Epidemiologia[editar | editar código-fonte]

A bartonelose é uma zoonose encontrada apenas no vales das montanha Andinas no Peru, Equador, Colômbia, Chile e Bolívia, local do habitat do vetor, a Lutzomyia verrucarum.

Fisiopatologia[editar | editar código-fonte]

Após atingirem o sistema retículo-endotelial e a corrente circulatória, parasitam as hemáceas, levando a anemia hemolítica, que pode comprometer até 90% das células em casos graves.

Pacientes que sobrevivem à fase aguda podem ou não desenvolver sintomas cutâneos, caracterizados pelo aparecemento de lesões hemangiomatosas.

O período de incubação varia de 2 a 14 semanas.

Tratamento[editar | editar código-fonte]

Dependendo da espécie muitos antibióticos podem ser usados, inclusive macrolídios e tetraciclinas. Imunodeprimidos devem ser tratados com gentamicina, rifampicina ou ciprofloxacina para evitar bacteriemias. Algumas cepas de B. henselae são resistentes a penicilina, amoxicilina e similares.[4]

Referências

  1. Walker DH (1996). Rickettsiae. In: Barron's Medical Microbiology (Barron S et al., eds.) (4th ed.). Univ of Texas Medical Branch. ISBN 0-9631172-1-1.
  2. http://emedicine.medscape.com/article/213169-overview
  3. acomo V, Kelly PJ, Raoult D (2002). "Natural history of Bartonella infections (an exception to Koch's postulate)". Clin. Diagn. Lab. Immunol. 9 (1): 8–18. doi:10.1128/CDLI.9.1.8-18.2002. PMC 119901. PMID 11777823.
  4. Rolain JM, Brouqui P, Koehler JE, Maguina C, Dolan MJ, Raoult D (2004). "Recommendations for treatment of human infections caused by Bartonella species". Antimicrob. Agents Chemother. 48 (6): 1921–33. doi:10.1128/AAC.48.6.1921-1933.2004. PMC 415619. PMID 15155180.