Bata (Guiné Equatorial)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se foi redirecionado(a) para esta página e não é a que procura, consulte: Bata (desambiguação).
Bata
  cidade  
Torre da Liberdade, em 2012.
Torre da Liberdade, em 2012.
Símbolos
Brasão de armas de Bata
Brasão de armas
Gentílico Batengo
Localização
Bata está localizado em: Guiné Equatorial
Bata
Localização na Guiné Equatorial
Coordenadas 1° 51' N 9° 46' E
País Guiné Equatorial
Região Região Continental
Província Litoral
Distrito Luba
Características geográficas
Área total 2 500 km²
População total (2012 estimativa) 250 770 hab.
Densidade 100,3 hab./km²
Altitude [1] 5 m
Fuso horário WAT (UTC+1)
Código de área 08

Bata é uma cidade portuária da Guiné Equatorial, sendo a capital da Província Litoral e segunda maior cidade do país. Com uma população de 66.800 habitantes (estimativa 2003), é de trinta por cento menor do que o capital do país, Malabo.

Encontra-se na costa do Oceano Atlântico, do Rio Muni. Bata era antigamente a capital da Guiné Equatorial e é um centro de transportes e de portos, de onde partem os ferrys para Malabo e Douala. É também conhecida por sua vida noturna e de mercado.

História[editar | editar código-fonte]

O surgimento do assentamento que originou a vila de Bata ocorreu no século XVII, logo após a chegada à costa da última grande migração de edoués, que tornaram aquela localidade, em virtude das muitas águas, uma área venerável e sagrada durante os ritos de purificação, responsáveis ​​por preservar e transmitir as grandes e mais secretas revelações do povo.

Em 1900, os franceses se estabeleceram em Bata e fundaram um entreposto comercial na cidade, utilizando-o para negociar madeira, couro, ébano e marfim com os povos do litoral e do interior. No ano seguinte, o Tratado de Paris cede a região aos espanhóis.[2]

Em 1907 Bata era um pequeno posto militar e não tinha mais de 237 habitantes, entre os quais 37 brancos (21 espanhóis, 9 franceses e 3 britânicos). Várias sociedades mercantis instalariam suas fábricas ao longo do seu porto natural.

Após os motins anti-espanhóis de 1969, a população europeia decaiu em Bata, e uma severa estagnação económica afectou a cidade nas seguintes décadas de 1970 e 1980. O recente boom petrolífero do país no final dos anos 80 fez disparar o crescimento económico da cidade.

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

Transportes[editar | editar código-fonte]

A principal infraestrutura de transportes da cidade é o porto de Bata, uma vital infraestrutura logística para toda a área continental do país.[3]

Outra infraestrutura vital é o aeroporto de Bata.[4]

Educação[editar | editar código-fonte]

A cidade de Bata sedia o campus principal do Colégio Nacional Enrique Nvó Okenve, além de possuir um campus da Universidade Nacional da Guiné Equatorial.[5]

Referências

  1. www.fallingrain.com Bata, Equatorial Guinea Page (em inglês)
  2. Frédéric Lejeal, Promenade à Bata, jeuneafrique.com, France, 17 décembre 2008
  3. BATA (GQBSG) - Chamadas de Porto, Partidas & Chegadas. MarineTraffic.com. 2019.
  4. «SkyVector: Flight Planning / Aeronautical Charts». skyvector.com. Consultado em 20 de agosto de 2018 
  5. Chaves-Chaparro, Juliana. Proyecto de asistencia para la formulación de instrumentos de políticas de Ciencia, Tecnología e Innovación. Malabo: UNESCO - Division de politica cientifica y refuerzo de capacidades. 21-22 de junho de 2016.
Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia da Guiné Equatorial é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Bata (Guiné Equatorial)