Battlestar Galactica (2004)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Battlestar Galactica é uma série de televisão de ficção científica criada por Ronald D. Moore e que foi ao ar pela primeira vez em 18 de outubro de 2004 no Reino Unido e Irlanda pela Sky One e, em 14 de janeiro de 2005, para os Estados Unidos, pelo canal Sci Fi.

A série recebeu uma grande variedade de elogios da crítica tanto no período de sua execução quanto nos anos seguintes, incluindo um Peabody Award, o Programa do Ano da Television Critics Association, uma colocação dentro Time Os 100 melhores programas de TV de todos os tempos,[1] e 19 indicações ao Emmy por roteiro, direção, figurino, efeitos visuais, mixagem de som e edição de som, com três vitórias do Emmy (efeitos visuais e edição de som).[2] In 2019, The New York Times placed the show on its list of "The 20 Best TV Dramas Since The Sopranos", a 20-year period many critics call "the golden age of television."[3]

Descrição[editar | editar código-fonte]

Esta nova versão da série de TV iniciou-se com a minissérie Battlestar Galactica (2003), e consiste, depois, em 4 temporadas, para além de 2 telefilmes complementares (sendo que um deles, Battlestar Galactica: Razor, se considera como sendo os 2 primeiros episódios da quarta e última temporada), e 3 webséries também complementares.

A primeira temporada lida com o início da viagem e problemas decorrentes, bem com o facto do tripulante Helo ter ficado em Caprica, e a chegada a Kobol.

A segunda temporada desta série tem, como principais acontecimentos, a conclusão do arco sobre Kobol, o encontro com a Battlestar Pegasus, a eleição presidencial e o encontro de um planeta que pode suportar vida humana (New Caprica).

A terceira temporada lida com as consequências dos eventos ocorridos em New Caprica, a saída desse planeta, a chegada ao planeta de algas que contém o Olho de Júpiter (e que permite uma visão profética cujos eventos ocorrem numa antiga Casa de Ópera, em Kobol), e, finalmente, a descoberta de 4 (dos 5 últimos) modelos Cylon e uma vista da localização do planeta Terra.

Na quarta e última temporada, os viajantes chegam ao planeta Terra (descobrindo algo de inesperado na civilização desse planeta), descobre-se a identidade do 5º último modelo Cylon, e o significado da visão profética (da Casa de Ópera) é descoberto quando a mesma ocorre na realidade, e é definida a relação dos viajantes com a Terra e o destino dos mesmos (com especial atenção a Baltar e ao modelo Número Seis dos Cylon).

Elementos[editar | editar código-fonte]

Battlestar Pegasus[editar | editar código-fonte]

A Battlestar Pegasus é uma espaçonave fictícia do seriado de televisão estadunidense Battlestar Galactica. Comandada pela Almirante Helena Cain, ela escapou do ataque às Doze Colônias do Homem. No momento do ataque, a Pegasus estava atracada em uma estação espacial. Ao perceber que os cylons atacavam maciçamente a estação e antes de sofrer o impacto de um míssil nuclear, Cain ordenou um salto Faster Than Light às escuras, sem coordenadas e com o risco de projetar a nave para dentro de uma estrela.[4]

Referências

  1. Poniewozik, James (6 de setembro de 2007). «The 100 Best TV Shows of All-TIME». Time. Consultado em 8 de dezembro de 2008 
  2. «Battlestar Galactica». Emmys.com. Consultado em 20 de maio de 2018 
  3. «The 20 Best TV Dramas Since 'The Sopranos'». The New York Times. 10 de janeiro de 2019. Consultado em 27 de março de 2019 
  4. Episódio "Pegasus" Battlestar Galactica (2004)
Ícone de esboço Este artigo sobre séries de televisão é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.