Boneca de piche

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Boneca de piche ou O macaco e a boneca de piche - é uma fábula do folclore brasileiro, que conta a história de um mono que é preso por uma armadilha em forma de boneca, feita de piche.

"Boneca de piche" é também o título de uma canção, de Ary Barroso e Luiz Iglesias, e de uma personagem de História em quadrinhos.

A fábula[editar | editar código-fonte]

Um esperto macaco andava a roubar as bananas num sítio. Com o prejuízo seu dono iniciou uma série de armadilhas, às quais o esperto mono escapava facilmente.

Foi então que formulou um plano, capaz de livrá-lo do assaltante: construiu, na beira dum rio, uma linda boneca feita de piche, e pôs-se à espreita.

Não demorou e o símio dela se aproximou, todo galante. Fala-lhe, mas ela continua muda. Assim, dizendo despedir-se, encosta-lhe uma mão que, instantaneamente, fica grudada na boneca. Vai assim até que todos os membros ficam presos e é chegado o fim do espertalhão.

Variantes[editar | editar código-fonte]

A fábula encontra variantes na cultura popular. Umas dão conta de que foi um caso havido entre a onça e o macaco; outros, que a boneca era, em verdade, feita de cera de abelhas - o que parece mais conforme aos materiais disponíveis no meio rural do país, sua origem provalvemente vem de Brer Rabbit.

A canção[editar | editar código-fonte]

"Da cor do azeviche, da jaboticaba
Boneca de piche, é tu que me acaba" [1]

Boneca de piche é uma composição de Ary Barroso e Luiz Iglesias, de 1938, que alcançou grande sucesso na Era do rádio, com Carmem Miranda e Emilinha Borba.

Quadrinhos[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Turma do Pererê

A Boneca de piche virou personagem do brasileiro Ziraldo, integrando a "Turma do Pererê".