Bottega Veneta

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Bottega Veneta é uma casa de moda de luxo italiana com sede em Milão, Itália. Suas linhas de produtos para homens e mulheres incluem pronto-a-vestir, bolsas, sapatos, acessórios, joias e fragrâncias.

A Bottega Veneta foi fundada em 1966 em Vicenza, Veneto, por Michele Taddei e Renzo Zengiaro. Sua tecelagem de couro Intrecciato foi um sucesso instantâneo. Depois que a empresa foi comprada pelo Grupo Gucci em 2001, um novo pulso de “riqueza furtiva” reviveu a Bottega Veneta. A empresa abriu em 2006 a Scuola dei Maestri Pellettieri di Bottega Veneta (escola de artesanato em couro), que desde 2013 está instalada em seu novo ateliê em Montebello Vicentino.

Bartolomeo Rongone é o CEO da Bottega Veneta desde setembro de 2019[1] e Matthieu Blazy o diretor de criação desde novembro de 2021.[2] Bottega Veneta opera 268 lojas para 3.754 funcionários e gerou 1,140 bilhões de euros em vendas (2020).[3] Bottega Veneta é uma subsidiária do grupo de luxo Kering.

História[editar | editar código-fonte]

A Bottega Veneta foi fundada em 1966 em Vicenza, Itália[4] por Michele Taddei e Renzo Zengiaro. Produzindo artigos de couro artesanal, a marca desenvolveu um design distinto de tecelagem de couro, o Intrecciato, que instantaneamente se tornou o visual icônico da Bottega Veneta.[5] "Quando as suas iniciais bastam " tornou-se o slogan histórico da marca porque o Intrecciato trabalhado tornava os produtos da Bottega Veneta imediatamente reconhecíveis e o seu logotipo só aparecia discretamente no interior dos produtos.[6][7]

Em 1972, a Bottega Veneta inaugurou sua primeira loja nos Estados Unidos, na cidade de Nova York.[5] Em meados da década de 1970, a empresa começou a fabricar calçados.[8]

Renzo Zengiaro deixou a empresa no final da década de 1970. Em seguida, Michele Taddei entregou a empresa para sua ex-mulher Laura Braggion, que passou a comandar a empresa com seu segundo marido, Vittorio Moltedo.[9] Ela se mudou para Nova York para desenvolver a empresa e tornou-se membro do jetset local.[10] Em 1980, a atriz Lauren Hutton carregava uma bolsa Bottega Veneta Intrecciato no filme American Gigolo.[11] Em 1985, Andy Warhol realizou o curta-metragem Bottega Veneta Industrial Videotape.[12][10]

Durante a década de 1990, a Bottega Veneta lançou sua primeira coleção pronto-para-vestir.[8]

Em fevereiro de 2001, o antigo Grupo Gucci adquiriu a Bottega Veneta por US$ 156 milhões.[13] No mês de maio seguinte, Patrizio di Marco foi nomeado CEO, e em junho Tomas Maier diretor de criação.[14] A Vogue cunhou o termo “riqueza furtiva” para descrever o novo estilo da marca.[15]

Descrição[editar | editar código-fonte]

Loja Bottega Veneta em Paris

Bottega Veneta é uma grife italiana de luxo especializada em pronto-a-vestir masculino e feminino, bem como em bolsas, sapatos, acessórios, joias e fragrâncias. Os itens mais populares da Bottega Veneta são as bolsas Cabat, Knot e Pouch.[8] O complexo artesanato de tecelagem do Cabat requer 2 artesãos durante 2 dias inteiros de trabalho.[16]

A Bottega Veneta está sediada em Milão, Itália. A empresa é subsidiária do grupo de luxo Kering. Em 2020, as vendas da Bottega Veneta atingiram 1,140 bilhão de euros.[3]

Prêmios[editar | editar código-fonte]

  • 2019: 4 prêmios durante o British Fashion Awards[17]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. «Bottega Veneta Appoints New CEO». JCK (em inglês). Consultado em 9 de novembro de 2020 
  2. «Bottega Veneta names Matthieu Blazy as creative director». Vogue Business (em inglês). Consultado em 16 de novembro de 2021 
  3. a b «Kering: 2020 Activity Report» (PDF). Kering.com (em inglês). 2021 
  4. Amed, Imran (31 de maio de 2016). «Carlo Beretta on Operation '€2 Billion Bottega Veneta'». The Business of Fashion (em inglês). Consultado em 5 de maio de 2021 
  5. a b «The story behind Bottega and its knots». Good Times. 1 de setembro de 2017. Consultado em 9 de novembro de 2020 
  6. «Up Close With the Bottega Veneta Artisans». PurseBlog. 25 de abril de 2014. Consultado em 9 de novembro de 2020 
  7. Wolf, Cam (11 de fevereiro de 2018). «Bottega Veneta Bets That You Still Want to Shop in a Store». GQ. Consultado em 9 de novembro de 2020 
  8. a b c «50 anni di Bottega Veneta». Il Post (em italiano). 26 de setembro de 2016. Consultado em 9 de novembro de 2020 
  9. «Bottega Veneta: la historia detrás de la firma de lujo más popular del momento» [Bottega Veneta: The story behind the most popular luxury brand of the moment]. talentiam (em espanhol). 1 de abril de 2020. Consultado em 5 de maio de 2021 [ligação inativa] 
  10. a b «Un anno con Andy Warhol poi lanciai Bottega Veneta», Il Mattino di Padova, 11 February 2007
  11. Tsui, Diana (15 de março de 2017). «Now You Can Own the Exact Bag Lauren Hutton Carried in American Gigolo». The Cut. Consultado em 9 de novembro de 2020 
  12. «Warhol: Where and when». The New York Times (em inglês). 22 de fevereiro de 1991. ISSN 0362-4331. Consultado em 5 de maio de 2021 
  13. Marsh, Lisa (8 de fevereiro de 2001). «GUCCI GETS MAJORITY CONTROL OF BOTTEGA VENETA». New York Pos (em inglês). Consultado em 9 de novembro de 2020 
  14. Marsh, Lisa (20 de junho de 2001). «BOTTEGA'S BIG BOOT – FOUNDERS OUT, GUCCI EXECS IN AT LUXE BRAND». New York Post. Consultado em 9 de novembro de 2020 
  15. Mower, Sarah (21 de fevereiro de 2006). «Fall 2006 Ready-to-Wear Bottega Veneta». Vogue. Consultado em 10 de fevereiro de 2016 
  16. How it's made: Bottega Veneta, Surface, 15 March 2017
  17. Bottega Veneta Sweeps the Fashion Awards With Four Big Wins, Vogue, 2 December 2019