Brujah

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Brujah é um clã fictício de vampiros do jogo de RPG Vampiro: A Máscara, pertencente a Camarilla, porém existem vários membros que se consideram independentes ou Anarquistas.

"Quando derrubarmos o sistema decadente que tenta nos governar, poderemos derrubar o sistema que governa os mortais também. seremos os salvadores da terra. Os rebeldes, sempre tentando impor seus ideais seja lá quais eles forem. Todos os seres pensantes merecem ser livres esse é o nosso direito de nascença" (Citação Brujah)

O clã Brujah (Pronúncia: BRUR-RA) é conhecido por ter os vampiros mais incontroláveis da Camarilla (embora existam vários membros que se consideram independentes). O clã é composto basicamente de rebeldes eternamente à procura das expressões definitivas de todos os tipos de individualidade. Os Brujah tendem a ser altamente agressivos, teimosos e extremamente vingativos.Geralmente são punks, carecas, motoqueiros, death-rockers, freaks, socialistas e anarquistas. A única coisa que os une estes desajustados é o seu desejo de sobrepujar o sistema social,seja vampírico ou mortal, são fanáticos por suas crenças disparatas e pretendem substituir o sistema vigente por um sistema forjado por eles mesmos (caos).Muitos são tão obstinados e devotados à sua causa que se tornarem cegos a todas as outras nuances possiveis de verdade. Os Brujah dependem de seu comportamento caótico para atingirem os resultados que desejam e embora sejam incrivelmente separatista, ajudam uns aos outros em momentos de necessidade, a despeitos de disputas ou antagonismos passados. O clã é mal organizado e apenas ocasionalmente convoca reuniões informais, porém, se um chamado Brujah for feito praticamente todos irão responder e o bando reunido ficará enraivecido se julgarem que foram convocados sem motivo, Lhes é permitido cometer certas excentricidades, atividades que fariam outros membros serem eliminados costuma valer-lhes apenas o comentário: "Ah, é um Brujah". Os outros membros "aprenderam" a conceder aos Brujah uma liberdade de ação que não seria tolerada em nenhum outro clã vampírirco, desta forma, surtos de insolência e comportamento turbulento não são surpreendentes quando partem de um Brujah.


Informações[editar | editar código-fonte]

Fundador: o fundador dos Brujah é comumente referido como 'Troile, o Velho', 'Ilyes' ou apenas [Brujah]. Este vampiro antediluviano foi diablerizado por sua cria, Troile, que tomou seu lugar como líder do clã. Após a queda de Cartago durante as Guerras Púnicas, Troile afundou na terra com seu amante Moloch, entrando em um torpor que dura até as noites atuais.

Alcunha: Ralé

Fraqueza: São extremamente vulneráveis a sofrer Frenesi, apesar de negarem radicalmente esta tendência à ecxitação e se tornam hostis quando o assunto é mencionado.

Disciplinas: Potência -- Presença -- Rapidez

Histórico[editar | editar código-fonte]

Erupções esporádicas de fúria e violência constantemente parte em pedaços a existência frágil dos Membros. Ache uma destas erupções e é mais do que provável que um Brujah também esteja lá. Este clã feroz briga com todos: príncipe ou anarquista, Camarilla ou Sabá, e até entre eles. Os Brujah são notórios por sua violência e frenesis destrutivos; de fato, Cainitas racionais os evitam como cães raivosos. Esses desajustados são fanáticos por suas crenças disparatas, a única coisa que os une é o seu desejo de sobrepujar o sistema social, seja vampírico ou mortal, e substituí-lo por um sistema forjado por eles mesmos (ou com nada). Muitos são obstinados, devotando-se à sua causa até se tornarem cegos a todas as outras nuanças da verdade.

Entretanto, nem todos os Brujah são estes destruidores insanos estereotipados pelos Membros. Embora os Brujah sejam incrivelmente separatista, ajudam uns aos outros em momentos de necessidade, a despeito de disputas ou antagonismos passados. Se o chamado Brujah for feito, outros irão responder, mas o bando reunido ficará enraivecido se acharem que foram convocados sem motivo. O clã é mal organizado e apenas ocasionalmente convoca reuniões informais. Os Brujah dependem de seu comportamento caótico para atingirem os resultados que desejam. Outros Membros lhes permite cometer suas excentricidades. Certas atividades que fariam outros membros serem eliminados costuma valer-lhes apenas o comentário: "Ah, é um Brujah". Explosões de insolência e comportamento turbulento não surpreendem quando partem de um Brujah. Os outros membros aprenderam a conceder aos Brujah uma liberdade de ação que não seria tolerado em nenhum outro vampiro.

Entre os Brujah podem ser achados eruditos, professores, filósofos e líderes. Alguns até dizem que os Brujah incorporam a consciência que restou entre os mortos vivos. Os Brujah são no mínimo contraditórios, e nenhum Brujah realmente representa este clã diverso. Para cada 'líder' anarquista incitando revoltas e revoluções existe um membro do clã no conselho da primigênie. Se os Membros eruditos podem dizer algo positivo sobre os Brujah, é que o clã está constantemente agindo e evoluindo. A mudança é sagrada, a estagnação é profana. Como todos os 13 clãs de vampiros, o clã Brujah pode traçar sua linhagem até um fundador da terceira geração. A partir daí, entretanto, sua história seguiu um caminho próprio enquanto o clã crescia em poder entre os Membros e mortais. Agora seus Membros habitam cada estrato da sociedade vampírica, com alguns governando de cima e outros lutando em baixo. Enquanto os mais sábios do clã falam da glória que foi Cartago, outros não se importam: hoje a noite é a noite e pro inferno com o resto. Então o clã cresce e muda, sem se preocupar com o passado e futuro. O que tiver que ser será e os Brujah lidarão com o que vier. Uma coisa é certa: de um passado de intelectuais e arquitetos para um presente de rebeldes e destruidores, os Brujah gravaram seus nomes nos anais dos mortos vivos.

Segundo a história que contam, os Brujah eram reis filósofos da antiga Mesopotâmia, Pérsia e Babilônia. Controlavam um império que se expandiu desde o berço da civilização até o norte da África, e buscavam sabedoria e conhecimento pelo mundo afora. Eles eram amantes e guardiões do conhecimento e o fundador de sua linhagem inventou a linguagem escrita. Porém, em sua busca pela liberdade e libertação, no entanto, eles mataram seu criador. Por isso, Caim os expulsou da primeira cidade. Desde então, os Brujah tem sofrido um inevitável declínio. Agora são encarados como gentalha que não possuem o menor senso de orgulho ou historia. Um dos clãs lideres da Grande Revolta Anarquista, os Brujah foram humilhados pelo fundador da Camarilla, e o clã como um todo ainda se ressente dos anciões. Embora estejam oficialmente na Camarilla, os Brujah são os esquentadinhos e agitadores da seita, testando as tradições e rebelando-se em nome de qualquer causa que apreciem. por mais de um milênio eles tem sido os rebeldes da família. Estão entre os poucos que apóiam os anarquistas e prestar-lhes apoio é um dos poucos assuntos em que concordam., e muitos Brujah são completos anarquistas, desafiando a autoridade e não servindo a nenhum príncipe.

Organização[editar | editar código-fonte]

A resposta comum para quando alguém pergunta a um Brujah sobre a organização de seu clã, é uma risada ou um grande soco no estômago. Conhecido por serem o clã mais desorganizado de todos, transformando reuniões formais em favor de festas informais. Não existem organizadores ou diretores ou um cargo formal de status e premiação entre os Brujah.

Os Brujah Idealistas unem-se para discutir e argumentar em lugares extremamente reservados.A única organização que existe entre os Brujah são suas facções; Os jovens membros anarquistas são conhecidos como "Iconoclastas" ( apesar de que sua denominação para este termo não poder ser publicada ). Os membros mais antigos e raros jovens são chamados de "Idealistas" ( porém preferem alguma denominação em Grego ), eles são interessados nos ideais do clã e possuem altos níveis de inteligência e intelecto, porém não pense você que eles não gostam de uma boa luta, gostam sim, mas tudo pela causa.

Os Idealistas vêem os Iconoclastas como jovens crianças rudes e sem ideais, e que somente pensam em brigas de rua. Os Iconoclastas vêem os Idealistas como fósseis inúteis ( para os anciões ), ou um bando de desocupados ( para os mais jovens ). Porém se respeitam e não se agridem.

Entre Idealistas e Iconoclastas estão os "Individualistas", que agem em todos os campos , tanto em idade e conhecimento como em temperamento e atitude, Não é necessário dizer que são estes membros oprimidos pelos outros dois grupos.

Estrutura[editar | editar código-fonte]

Dentro da Camarilla os Brujah tem relativa e pouca influência entre os Príncipes, mesmo porque com a aptidão nata do clã em se meter em problemas não poderia ser diferente (o lendário temperamento Brujah pode produzir igualmente lendárias quebras da máscara e de outras tradições). Porém alguns príncipes lhes dão mais oportunidades do que apenas as horas da noite, pois é surpreendente a quantidade de Xerifes, Algozes e Caçadores Brujah em algumas cidades.

Príncipes Brujah são raros, pois na verdade, a influência mais forte dos Brujah é nas ruas e não nas torres de mármore como os outros clãs, principalmente uma forte influência em universidades e academias, uma relíquia das antigas noites onde os membros eram Reis e Guerreiros Filósofos. Alguns anciões trabalham duro para abraçar membros que demonstrem esta natureza idealista. Mas os Brujah de rua, não se esforçam assim e tendem a abraçar outros da rua. Pois estes membros de rua , se preocupam muito mais em dominá-las em número de membros.

O clã tem a maior variedade de tipos de membro na Camarilla, pois em muitos casos se alguém demonstra uma atitude respeitável, ou coragem para resolver uma questão, é tudo o que ele precisou fazer para que algum Brujah o abrace. Todo o resto, a ideologia Brujah, isso pode ser esquecido (ao menos para estes membros de rua).

Linhagem[editar | editar código-fonte]

Os Brujah foram os primeiros a se chamarem de anarquistas durante a Revolta, mas os anciões do clã desertaram do movimento. Os anciões de outros clãs os exortaram a colocarem suas "tolas e perigosas crias" na linha. A maioria dos líderes Brujah entre os anarquistas se reuniu com os anciões do clã. Os anciões prometeram que os líderes não seriam punidos nem forçados a abdicarem de sua independência se a Revolta terminasse. Os anciões Brujah poderiam garantir isso junto aos outros anciões, que perceberam que a menos que atendessem 'as exigências dos anciões Brujah, a luta continuaria indefinidamente. Os líderes anarquistas Brujah concordaram com isso, o que levou à assinatura de um tratado e a um juramento. O tratamento e o juramento ficaram conhecidos como a Convenção dos Espinhos.

Alguns dos anarquistas Brujah se recusaram a aceitar as palavras dos anciões e se mantiveram ao lado dos outros vampiros revoltosos. Os anarquistas ainda respeitavam esses Brujah, mas eles perderam a liderança para os Lasombra. Os Brujah se tornaram iguais, e não lideres, e continuam assim até hoje.

Referências[editar | editar código-fonte]

Vampire's Clã [1]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]