Bryonia dioica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.


Como ler uma infocaixa de taxonomiaBryonia dioica
Bryonia dioica 1.jpg
Classificação científica
Reino: Plantae
Clado: angiospérmicas
Clado: eudicotiledóneas
Ordem: Violales
Família: Cucurbitaceae
Género: Bryonia
Espécie: B. dioica
Nome binomial
Bryonia dioica
Jacq.

Bryonia dioica, comummente conhecida como briónia-branca[1], é uma espécie de planta com flor pertencente à família Cucurbitaceae e aos tipos biológicos dos geófitos e dos escandentes. [2]

A autoridade científica da espécie é Jacq., tendo sido publicada em Florae Austriaceae 2: 59–60, pl. 199. 1774.

Nomes comuns[editar | editar código-fonte]

Dá ainda pelos seguintes nomes comuns: briónia[3] (nome que, por sinal, partilha com as demais espécies do género Bryonia), nabo-do-diabo[4][2], norça-branca[5], norça[6](não confundir com a Tamus communis, que também partilha deste nome), colubrina[7] (não confundir com as espécies do género Colubrina ou com a Polygonum bistorta e as suas subespécies, que também partilham deste nome),erva-cobra[4] e vide-branca[4].

Distribuição[editar | editar código-fonte]

É autóctone do Ocidente da orla Mediterrânica, da Europa ocidental e do Sudoeste asiático.[4]

Portugal[editar | editar código-fonte]

Trata-se de uma espécie presente no território português, mais concretamente em todas as zonas de Portugal Continental.[4]

Em termos de naturalidade é nativa da região atrás indicada.[2]

Ecologia[editar | editar código-fonte]

Trata-se duma espécie ripícola[4] e ruderal, que também medra em matos e nas suas imediações, em sebes-vivas e na frente umbria de barrocas, privilegiando os solos húmidos.[2]

Protecção[editar | editar código-fonte]

Não se encontra protegida por legislação portuguesa ou da Comunidade Europeia.

Uso humano[editar | editar código-fonte]

Culinária[editar | editar código-fonte]

Os rebentos ainda verdes desta planta, são, por vezes, usados como ingredientes em receitas tradicionais portuguesas[2], incluindo esparregados[8].

Farmacologia[editar | editar código-fonte]

A raiz e o caule têm propriedades tóxicas, sendo que a raiz, quando fresca, pode induzir irritação cutânea[4]. Às demais partes da planta são-lhes atribuídas propriedades anti-reumático, anti-inflamatórias, purgantes, rubefacientes, sudoríficas, expectorantes, vermífugas e catárticas.[4]

Referências

  1. Infopédia. «briónia-branca | Definição ou significado de briónia-branca no Dicionário Infopédia da Língua Portuguesa». Infopédia - Dicionários Porto Editora. Consultado em 17 de outubro de 2021 
  2. a b c d e «bryonia dioica| Flora-On | Flora de Portugal». flora-on.pt. Consultado em 16 de outubro de 2021 
  3. Infopédia. «briónia | Definição ou significado de briónia no Dicionário Infopédia da Língua Portuguesa». Infopédia - Dicionários Porto Editora. Consultado em 17 de outubro de 2021 
  4. a b c d e f g h «Bryonia_dioica». Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro. Consultado em 17 de março de 2020 
  5. Infopédia. «norça-branca | Definição ou significado de norça-branca no Dicionário Infopédia da Língua Portuguesa». Infopédia - Dicionários Porto Editora. Consultado em 17 de outubro de 2021 
  6. Infopédia. «norça | Definição ou significado de norça no Dicionário Infopédia da Língua Portuguesa». Infopédia - Dicionários Porto Editora. Consultado em 17 de outubro de 2021 
  7. Infopédia. «colubrina | Definição ou significado de colubrina no Dicionário Infopédia da Língua Portuguesa». Infopédia - Dicionários Porto Editora. Consultado em 17 de outubro de 2021 
  8. S.A, Priberam Informática. «norça». Dicionário Priberam. Consultado em 17 de outubro de 2021 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre plantas é um esboço relacionado ao Projeto Plantas. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.