Carlos Alberto Soares Cardoso

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Carlos Alberto Soares Cardoso
Político de Portugal Portugal
Dados pessoais
Nascimento
Santo Ildefonso, Porto
Morte 30 de junho de 1936
Lisboa
Nacionalidade Portugal Portugal
Esposa Carolina Burnay
Profissão Empresário
Títulos nobiliárquicos
Visconde do Marco 4 de Março de 1909
Serviço militar
Graduação Capitão
Condecorações Ordem de Nossa Senhora da Conceição de Vila Viçosa
Ordem Militar de Avis
Medalha de Prata de Comportamento Exemplar

Carlos Alberto Soares Cardoso CvAMPCEComNSCGCNSC (Porto, Santo IldefonsoLisboa, 30 de Junho de 1936), 1.º Visconde do Marco, foi um deputado, militar e empresário português.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascimento e formação[editar | editar código-fonte]

Nasceu na Freguesia de Santo Ildefonso do Concelho do Porto.[1]

Tornou-se um Bacharel em Matemática na Faculdade e Ciências da Universidade de Coimbra.[1]

Carreira militar e profissional[editar | editar código-fonte]

Exerceu como capitão da arma de engenharia.

Ocupou o posto de governador civil de Leiria, e foi deputado pelo Porto em várias legislaturas, durante o regime monárquico.[1] Aquando do seu falecimento, ocupava as posições de director no Banco Burnay, na Companhia de Diamantes de Angola e na Companhia dos Caminhos de Ferro Portugueses da Beira Alta, e de presidente da assembleia geral da Companhia de Carris de Ferro de Lisboa.[1]

Recebeu o título de 1.º Visconde do Marco por um decreto de 4 de Março de 1909, tendo-lhe sido concedido o brasão de armas por uma Carta Régia de 12 de Agosto do mesmo ano.[1]

Falecimento e família[editar | editar código-fonte]

D. Carolina de Burnay, Viscondessa do Marco

Morreu no dia 30 de Junho de 1936, na sua residência na Rua da Junqueira, em Lisboa; tinha 73 anos de idade.[1] Estava casado com Carolina de Burnay, e era pai de Maria Adelaide Soares Cardoso Cruz, Duarte Gustavo, Adolfo José, José Tomaz, e António Soares Cardoso.[1]

Homenagens[editar | editar código-fonte]

Foi agraciado com os graus de Comendador e Grã-Cruz da Ordem de Nossa Senhora da Conceição de Vila Viçosa e de Cavaleiro da Ordem Militar de Avis, e com uma Medalha de Prata de Comportamento Exemplar.[1]

Referências

  1. a b c d e f g h «Os nossos mortos» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 48 (1165). 357 páginas. 1 de Julho de 1936. Consultado em 26 de Janeiro de 2013 


Ícone de esboço Este artigo sobre um político é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.