Carlos Higgie

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde junho de 2010).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Carlos Higgie
Nascimento
Rivera

Carlos Higgie (Rivera, 9 de agosto de 1955) é um escritor do Uruguai.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filho de mãe brasileira e pai uruguaio, o seu primeiro livro, "Como Pompas de Jabón" - uma amálgama de poesias e contos -, foi publicado em Montevidéu, em 1979.

Em 1983 publicou "Cuentos a Contramano", um livro de contos em espanhol, em Porto Alegre. Seguiu um livro em língua portuguesa - "Vento nos Ossos" (Porto Alegre, 1984) -, que evidencia com mais clareza a sua predileção pelo conto mágico, surrealista, fantástico, explorando sempre uma realidade paralela, muitas vezes oculta pela poeira da rotina.

Em 1990 fez uma parceria com a sua prima, Nélida Higgie, lançando "Higgie&Higgie", um livro de poesias e contos.

Em 1994, ainda em Porto Alegre, publicou "Rios da Rua".

Já residindo em Santa Catarina, lançou "Gritos da Pele", livro de contos eróticos.

Os seus contos "O fotógrafo", "João Alma" e "Não Somos Invencíveis" foram premiados em concurso literários, regionais e nacionais, no Uruguai.

Em 2004 publicou "Uma Ilha no Entardecer", uma antologia de seus contos anteriormente publicados em livro, com contos inéditos e outros publicados em jornais e sites literários.

Em 2005 publicou, em parceria com Cármen Guaresemin e Jane Soares de Almeida, o livro "Amor a Três",[1] obra composta por uma série de contos eróticos, divididos em nove capítulos.[2]

"La Sombra de los Marcos",[3] publicado em 2008, marca uma nova parceria com Nélida Higgie, abordando temas próprios da froteira Rivera-Santana do Livramento, abordando o "portunhol", os desaparecidos, a ditadura uruguaia, os emigrantes, enquanto desenvolve uma interessante história de amor.[4]

Em "Caleidoscópio" (2009)[5] aborda novamente, na segunda parte do livro, o tema erótico. Seu romance "Nebuloso Losango" (2010)[6] foi editado pela Todamérica e narra a história de quatro amigos, perdidos no meio de uma ditadura.

Em Porto Alegre fez parte de vários movimentos literários independentes, participou de encontros, em alguns deles como um dos oradores e foi membro da Associação Gaúcha de Escritores. Atualmente é membro da Academia Itapemense de Letras, da Academia Blumenauense de Letras e da Sociedade de Escritores de Blumenau.


Obras publicadas[editar | editar código-fonte]

  • 1979 - Como Pompas de Jabón
  • 1983 - Cuentos a Contramano
  • 1984 - Vento nos Ossos
  • 1990 - Higgie&Higgie
  • 1994 - Rios da Rua
  • 2000 - Gritos da Pele
  • 2004 - Uma Ilha no Entardecer
  • 2005 - Amor a Três
  • 2008 - La Sombra de los Marcos
  • 2009 - "Caleidoscópio"
  • 2010 - "Nebuloso Losango"

Referências