Casa Edison

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Casa Edison
Empresa detentora Odeon Records
Fundação 1900[1][2]
Fechamento 1960[3]
Fundador(es) Frederico Figner[2]
País de origem Brasil
Localização Rio de Janeiro

Casa Edison foi a primeira casa gravadora no Brasil e na América do Sul, fundada em 1900 por Frederico Figner no Rio de Janeiro[2] na Rua do Ouvidor, 107[4]. Inicialmente apenas importava e revendia cilindros fonográficos (utilizados nos fonógrafos de Thomas Edison) e discos (utilizados nos gramofones de Emil Berliner),[1] mas, em 1902, lança o que é considerada a primeira música brasileira gravada no país, o lundu Isto É Bom do compositor Xisto Bahia na voz de Baiano.[5] Anos mais tarde, em 1917, lançaria também o primeiro samba gravado no país, Pelo Telefone, de autoria de Donga e Mauro de Almeida, executado também por Baiano.[5] Desde a fundação, passa a ser representante da Odeon Records administrando os vários selos que a empresa alemã possuía e, a partir de 1912, também a fábrica que aquela companhia abriu no Rio de Janeiro naquele ano.[1] Em 1926, a gravadora perderia a representação da Odeon e, no ano seguinte, passaria a gravar pelo selo Parlophone até que, em 1932, sairia definitivamente da indústria fonográfica, passando a operar com máquinas de escrever, geladeiras e mimeógrafos até encerrar suas atividades em 1960.[3]

Propaganda dos Gramofones, Gramofofonos, Fonógrafos e cilindros da Casa Edison no Correio Paulistano, em 1902.

Referências

  1. a b c GONÇALVES, Eduardo. A Casa Edison e a formação do mercado fonográfico no Rio de Janeiro no final do século XIX e início do século XX. Publicado em Revista Desigualdade & Diversidade, nº 9, jul-dez de 2011.
  2. a b c PICCINO, Evaldo. Um breve histórico dos suportes sonoros analógicos. Sonora. São Paulo:Universidade Estadual de Campinas / Instituto de Artes, vol. 1, n. 2, 2003.
  3. a b Casa Edison. Publicado em Dicionário Cravo Albin da Música Popular Brasileira. Página visitada em 28 de setembro de 2012.
  4. «Endereço Casa Edison RJ». Correio da Manhã nº 135 de 27 de Outubro de 1901 
  5. a b NAPOLITANO, Marcos. História & Música: História cultural da música popular. Belo Horizonte: Editora Autêntica, 2002.
Ícone de esboço Este artigo sobre gravadoras brasileiras é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.