Cavadinha (futebol)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Cavadinha no futebol é uma técnica utilizada em cobranças de pênaltis onde o jogador, ao invés de chutar a bola em trajetória direta ao gol, ele dá um toque sutil embaixo da bola, fazendo com que ela suba e caia dentro do gol, enganando o goleiro.

História[editar | editar código-fonte]

O pênalti estilo cavadinha Foi criado pelo jogador tcheco Antonín Panenka, que apresentou esta técnica pela primeira vez ao mundo na final do Campeonato Europeu de 1976, quando venceu o goleiro Sepp Maier na cobrança que deu o título à seleção da Tchecoslováquia.[1][2]

No Brasil, esta jogada ficou famosa com Djalminha, que adotou o estilo em muitas de suas cobranças, jogando no Guarani e no La Coruña.

Técnica[editar | editar código-fonte]

Segundo o criador da jogada, "para bater bem você precisa de uma longa preparação, treinar bastante. É preciso ter 1.000% de certeza de que vai marcar. Não se pode subestimar o goleiro. A base do sucesso é o corpo, o movimento, a corrida. É preciso convencer o goleiro de que você vai jogar a bola em algum lado."[3]

Cavadinhas famosas[editar | editar código-fonte]

A cavadinha pode não ter o efeito esperado, como no caso de Neymar, na época jogador do Santos, que numa cobrança, o goleiro Lee, então no Vitória não caiu para canto nenhum e pegou a bola sem problemas.[5][6] O jogador pode também calcular mal a força empregada na bola, como fez o jogador do Cruzeiro, Walter Montillo, cuja cobrança passou sobre o travessão, no clássico contra o Atlético Mineiro.[7]

Outros jogadores famosos já fizeram a cavadinha, que é chamada fora do Brasil de pênalti à la Panenka, em homenagem ao criador da cavadinha.[8]

Em Copas do Mundo[editar | editar código-fonte]

Na Copa do Mundo FIFA de 2010, na África do Sul, Sebastián Abreu converteu um pênalti que classificou o Uruguai na semifinal, vencendo a seleção de Gana, após cobrar uma cavadinha.[9]

Na final da Copa do Mundo de 2006, na Alemanha, o francês Zinedine Zidane cobrou sua penalidade na final assim.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «The footballers who have moves named after them». Consultado em 14 de novembro de 2010. 
  2. «Antonin Panenka - the footballer Pele described as "either a genius or a madman"». Consultado em 14 de novembro de 2010. 
  3. a b globoesporte.globo.com/ Criador da cavadinha conta origem do chute: "Aposta por cerveja e chocolate"
  4. a b sportv.globo.com/ Especialista, Djalminha critica cavadinha de Pato: "Bateria mais forte"
  5. Goleiro do Vitória diz que já esperava "gracinha" de Neymar. Esportes.terra.com.br
  6. Neymar tenta cavadinha e erra pênalti contra o Vitória na final da Copa do Brasil
  7. "Cavadinha" perdida será motivo de conversa entre Cuca e Montillo. Esportes.terra.com.br
  8. O Pênalti de Panenka. Planetadofutebol.com
  9. "Cavadinha" de "El Loco" acaba com sonho africano e põe Uruguai na semi. Esporteinterativo.terra.com.br
Ícone de esboço Este artigo sobre futebol é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.