Cecília de França

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde junho de 2013). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Cecília
Princesa de França
Senhora de Tarso e Mopsuéstia
Cecília implorando para seu marido ajudar seu meio-irmão Fulque de Jerusalém
Condessa de Trípoli
Reinado 1115 - março de 1137
 
Cônjuge Tancredo da Galileia
Pôncio de Trípoli
Descendência Raimundo II de Trípoli
Filipe
Inês
Nascimento 1097
Morte depois de 1145 (48 anos)
Sepultamento Santo Sepulcro, Jerusalém
Pai Filipe I de França
Mãe Bertranda de Monforte
Casamento das filhas de Filipe I de França (iluminura da Historia de Guilherme de Tiro e continuação, século XV, Biblioteca Nacional de França)

Cecília de França (1097 — depois de 1145) era filha do rei Filipe I de França, do seu matrimónio com Bertranda de Monforte.[1] Foi esposa dos soberanos cruzados Tancredo da Galileia e Pôncio de Trípoli.

O seu primeiro casamento foi combinado quando Boemundo I de Antioquia visitou a corte francesa procurando apoios para o seu principado. Cecília viajou por mar até Antioquia no final de 1106 e casou-se no mesmo ano com Tancredo da Galileia, na época regente do Principado de Antioquia e do Condado de Edessa.

Ao morrer sem descendência em 1112, Tancredo fez Pôncio de Trípoli, filho de Bertrando de Toulouse, prometer que se casaria com a sua viúva, oferecendo como dote as fortalezas de Arcicanum e Rugia. Este segundo matrimónio ocorreu em 1115 e deste nasceram:

  • Raimundo II de Trípoli (1116 — 1152)
  • Filipe (1126 — 1142)
  • Inês (m. antes de Março de 1183), casada com Reinaldo II, senhor de Marqab

Em 1126 tornou-se Senhora de Tarso e Mamistra (antiga Mopsuéstia, próximo a Adana), na Arménia Cilícia. Em 1133 Pôncio foi cercado no seu castelo de Montferrand por Zengi, atabei de Mossul, e Cecília apelou ao seu meio-irmão materno Fulque, rei de Jerusalém, para o ajudar. Zengi abandonou o cerco mas, durante um segundo cerco em 1137, Pôncio foi aprisionado e morto, sendo sucedido no Condado de Trípoli pelo filho Raimundo.

Precedida por:
Helena da Borgonha
Condessa de Trípoli
Armoiries Tripoli.svg

1115 - março de 1137
Sucedida por:
Hodierna de Trípoli

Notas

  1. Cecília é referenciada na Historia Regum Francorum Monasterii Sancti Dionysii (História do Reino dos Francos do Mosteiro de São Dionísio), que fala de "Philippum et Florum et filiam unam" (Filipe e Fleury e uma filha) como a descendência de "Philippus rex [et] Fulconi Rechin Andagavorum comiti uxorem" (Rei Filipe e Bertranda), especificando que a filha não nomeada casou com "Tanchredus Anthiochenus" (Tancredo de Antioquia). A filiação de Cecília também foi registrada por Guilherme de Tiro, arcebispo de Tiro e cronista das cruzadas, que escreveu sobre os seus dois casamentos.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Cecília de França