Estados cruzados

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde junho de 2009)
Por favor, melhore este artigo inserindo fontes no corpo do texto quando necessário.

Os estados cruzados, ou estados latinos do oriente, foram alguns estados feudais, existentes na sua maioria nos séculos XII e XIII, criados pelas cruzadas dos reinos da Europa Ocidental na Ásia Menor, Grécia, Síria e Terra Santa (actuais Israel e Palestina). Todos acabaram por ser reconquistados pelos exércitos islâmicos do Oriente Médio.

Mas a expressão também pode significar outras conquistas territoriais, geralmente pequenas e de pouca duração, do mundo cristão medieval contra adversários muçulmanos e pagãos.

Apesar de a Reconquista cristã de al-Andalus, na Península Ibérica, aos mouros arabo-berberes, se encaixar no mesmo perfil das cruzadas, não é costume chamar os estados católicos daí resultantes de estados cruzados.

Levante[editar | editar código-fonte]

Os primeiros quatro estados cruzados foram criados no Levante imediatamente após a Primeira Cruzada:

O Reino Arménio da Cilícia originou-se antes das cruzadas, mas o papa Inocêncio III concedeu-lhe o estatuto de reino e posteriormente foi semiocidentalizado pela dinastia francesa da Casa de Lusignan.

Chipre[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Reino do Chipre

O Reino de Chipre foi fundado durante a Terceira Cruzada por Ricardo Coração de Leão, quando conquistou Chipre no seu trajecto para a Terra Santa. A ilha foi estabelecida como reino e este foi oferecido ao deposto rei de Jerusalém, Guy de Lusignan, em 1192. Perdeu-se em 1489, quando a sua última rainha o vendeu a Veneza. Posteriormente foi concedido aos cavaleiros da Ordem do Hospital, mas nunca foi verdadeiramente aproveitado como posto avançado e caiu em declínio antes de ter sido perdido em uma insurreição.

Balcãs[editar | editar código-fonte]

Depois da Quarta Cruzada os territórios do Império Bizantino foram divididos em vários estados, iniciando-se o chamado período da "Francocracia" (em grego Φραγκοκρατία):

Ver artigo principal: Latinocracia

Feudos mediterrânicos menores[editar | editar código-fonte]

Houve várias outras pequenas entidades feudais (a definição de estado pode tornar-se confusa) resultantes de cruzadas menores contra o Islão no Mediterrâneo, tais como:

Cruzadas do Norte[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Cruzadas do Norte

Na região do Báltico, as tribos indígenas na idade média começaram por recusar firmemente o cristianismo. Em 1193 o papa Celestino III incentivou duas ordens religiosas de cavaleiros, os Irmãos Livônios da Espada e os Cavaleiros Teutónicos, a invadir e subjugar os pagãos: prussianos, lituanos e outras tribos habitantes da Estónia, Letónia e Prússia Oriental. Este período bélico é chamado de Cruzadas do Norte.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Großer Atlas zur Weltgeschichte, Westermann