Centro Técnico Audiovisual

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Centro Técnico Audiovisual
(CTAv)
Fundação 1985
Estado legal  Brasil
Sede Rio de Janeiro, RJ
Filiação Ministério da Cultura
Sítio oficial www.ctav.gov.br

O Centro Técnico Audiovisual (CTAv) é um órgão do Ministério da Cultura do Brasil, responsável pelo apoio técnico à produção de obras audiovisuais nacionais. É vinculado à Secretaria do Audiovisual[1].

Histórico[editar | editar código-fonte]

O CTAv foi fundado em 1985, por meio de um convênio entre a Embrafilme e o National Film Board do Canadá. O acordo entre as duas entidades previa como funções do órgão "apoiar o desenvolvimento da produção cinematográfica nacional" e "promover a formação, capacitação e aperfeiçoamento de pessoal técnico necessário à atividade".

Em 1987, a Embrafilme foi desmembrada e parte de sua estrutura, inclusive o CTAv, passou a integrar a Fundação do Cinema Brasileiro (FCB). No Governo Collor, com a extinção da Embrafilme, da FCB e do Ministério da Cultura, as atividades do Centro passaram a ser executadas pelo Departamento de Cinema e Vídeo (Decine-CTAv) da Funarte[2].

No Governo Lula, a reestruturação do Ministério da Cultura sob a gestão de Gilberto Gil retirou o Decine da Funarte e vinculou-o à Secretaria do Audiovisual, em 2003. No mesmo ano o órgão recebeu um investimento de R$ 1,5 milhão para reforma das instalações e compra de equipamentos[3]. Também nesse período foi retomado o convênio com o NFB, que havia sido abandonado nos anos 90.

Em abril de 2007 foi aberta uma unidade regional, com sede no Recife, para apoio à produção nas regiões Norte e Nordeste do Brasil[4]. Em 2008, a representação local passou a se chamar Centro Audiovisual Norte-Nordeste (Canne), atuando sob supervisão do CTAv nacional[5].

Serviços[editar | editar código-fonte]

O serviço mais procurado por produtores é a mixagem de som para filmes[6]. O CTAv também oferece empréstimo de equipamentos, transfer (para película 35mm), edição de imagens, transcrição de som, uso de truca e moviola.

Filme Cultura[editar | editar código-fonte]

Em 2010, o CTAv relançou a revista Filme Cultura, que havia sido publicada pelo Instituto Nacional do Cinema entre 1966 e [1988]]. Além de retomar a publicação, o órgão promoveu, em parceria com a Fundação Biblioteca Nacional, a recuperação do acervo da revista[7][8].


Referências

  1. CTAv- Apoio à produção audiovisual. APTC
  2. Histórico. CTAv
  3. De cara nova. Revista Tela Viva nº 170 (abril de 2007)
  4. Espaço de Formação Técnica e de Preservação do Audiovisual Brasileiro. Ministério da Cultura do Brasil, 5 de novembro de 2007
  5. Centro Audiovisual Norte-Nordeste - Canne. Fundação Joaquim Nabuco
  6. CTAv dobra a capacidade de atendimento em 2009. Ministério da Cultura do Brasil, 30 de julho de 2009
  7. Preservação do Audiovisual Brasileiro Revista Filme Cultura - CTAV. Petrobras Cultura
  8. CTAv relança Filme Cultura Cinema.com.br


Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  • [1] Site oficial
  • [2] Revista Filme Cultura


Ícone de esboço Este artigo sobre administração pública é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.