Centro de Tropas de Operações Especiais

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para o Centro de Instrução de Operações Especiais do Brasil, veja Centro de Instrução de Operações Especiais.
Centro de Tropas de Operações Especiais
País  Portugal
Corporação Exército
Subordinação Brigada de Reacção Rápida
Missão Operações especiais
Denominação Rangers
Sigla CTOE
Criação 1806 (RI 9)
1960 (CIOE)
Aniversários 16 de Abril
Patrono Nossa Senhora dos Remédios
Lema Que os muitos por ser poucos nam temamos
Sede
Sede Lamego
Distrito Distrito de Viseu
Morada Quartel de Santa Cruz
Internet Sítio oficial

O Centro de Tropas de Operações Especiais (CTOE) MHTEMHA (antigo Centro de Instrução de Operações Especiais (CIOE) até 2006), sediado na Cidade de Lamego, é uma unidade do Exército Português destinada a formar tropas na área das Operações Não Convencionais. Contêm uma unidade operacional chamada Força de Operações Especiais (FOE), com um tamanho de duas companhias, que são popularmente chamados de Rangers, já que o primeiro instructor do CTOE tinha tirado o curso de Ranger nos EUA. Algumas das suas missões são por exemplo: confronto de alvos de grande importância; destruição de defesas aéreas e terrestres inimigas, Resgate e Salvamento em Combate (CSAR), patrulhas em território inimigo, etc. A unidade pode ser infiltrada através de barco, helicoptero, paraquedas ou mesmo a pé.

O CIOE foi criado em 16 de Abril de 1960, a partir do Regimento de Infantaria Nº 9 - que havia sido transferido para Lamego em 1839 - com o objectivo de formar unidades especializadas em contra-guerrilha, operações psicológicas e montanhismo. Para lá são enviadas companhias especialmente seleccionadas de vários regimentos que, depois de instruídas, são transformadas em Companhias de Caçadores Especiais. Essas companhias foram a principal força de intervenção do Exército Português no início da Guerra do Ultramar.

Mais tarde foi decidido deixar de formar unidades especializadas em operações especiais e passar a dar essa instrução a militares especialistas, que depois são distribuidos por todos os batalhões do exército.

A 28 de Março de 2000 foi feito Membro-Honorário da Ordem Militar da Torre e Espada, do Valor, Lealdade e Mérito e a 6 de Setembro de 2010 foi feito Membro-Honorário da Ordem Militar de Avis.[1]

Formação[editar | editar código-fonte]

  • Curso de Operações Especiais
  • Curso de SNIPER
  • CPRLRA - Patrulhas de Reconhecimento de Longo Raio de Acção
  • CPCAT - Prevenção e Combate a Ameaças Terroristas
  • Técnicas de Montanhismo
  • COIR - Operações Irregulares
  • Estágios

Referências

  1. «Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Portuguesas». Resultado da busca de "Centro de Instrução de Operações Especiais". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 27 de novembro de 2014 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre tópicos militares é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.