Chuck Willis

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Chuck Willis
Informação geral
Nome completo Harold Willis
Nascimento 31 de janeiro de 1928
Origem Atlanta, Geórgia, EUA
Data de morte 10 de abril de 1958 (30 anos)
Local de morte Atlanta, Geórgia, EUA
Nacionalidade norte-americano
Gênero(s) R&B, rock and roll
Ocupação(ões) Cantor, compositor
Período em atividade 1950-1958
Gravadora(s) Okeh, Atlantic

Harold "Chuck" Willis (Atlanta, Geórgia, 31 de janeiro de 1928 – Atlanta, 10 de abril de 1958)[1] foi um músico de blues, rhythm and blues[2] e compositor norte-americano. Seus maiores sucessos foram, "See See Rider" (1957) e "What Am I Living For" (1958),[3][4] ambos chegaram o nº 1 na parada de Billboard R&B/Hip-Hop Songs.

Discografia[editar | editar código-fonte]

Chart singles[editar | editar código-fonte]

Ano Singles Gravadora Posições
EUA Pop[5] EUA
R&B
[6]
1952 "My Story" OKeh 4-6905 - 2
1953 "Going To The River" OKeh 4-6952 - 4
"Don't Deceive Me" OKeh 4-6985 - 6
1954 "You're Still My Baby" OKeh 4-7015 - 4
"I Feel So Bad" OKeh 4-7029 - 8
1956 "It's Too Late" Atlantic 1098 - 3
"Juanita" /
"Whatcha' Gonna Do When Your Baby Leaves You"
Atlantic 1112 - 7
11
1957 "C. C. Rider" Atlantic 1130 12 1
1958 "Betty and Dupree" Atlantic 1168 33 15
"What Am I Living For" /
"Hang Up My Rock And Roll Shoes"
Atlantic 1179 9
24
1
9
"My Life" Atlantic 1192 46 12
"Keep A-Driving" Atlantic 2005 - 19

Referências

  1. Murrells, Joseph (1978). The Book of Golden Discs 2nd ed. London: Barrie and Jenkins Ltd. p. 109. ISBN 0-214-20512-6 
  2. Du Noyer, Paul (2003). The Illustrated Encyclopedia of Music 1st ed. Fulham, London: Flame Tree Publishing. p. 181. ISBN 1-904041-96-5 
  3. Chuck Willis (1928–1958) no IMDB
  4. «Biografia de Chuck Willis no Billboard» (em inglês). 26 de abril de 2014 
  5. Whitburn, Joel (2003). Top Pop Singles 1955-2002 1st ed. Menomonee Falls, Wisconsin: Record Research Inc. p. 769. ISBN 0-89820-155-1 
  6. Whitburn, Joel (1996). Top R&B/Hip-Hop Singles: 1942-1995. [S.l.]: Record Research. p. 485 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]