Circunfixo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Um circunfixo (abreviado CIRC)[1] ou confixo é um afixo que tem duas partes, uma colocada no início de uma palavra, e a outra parte no final. Circunfixos contrastam com prefixos, ligados no início das palavras, e os sufixos, anexados no final; e infixos, que são inseridos no meio. Circunfixos são comuns em malaio[2] e georgiano.[3]

Exemplos[editar | editar código-fonte]

⟩Parênteses angulares⟨ são usados para marcar os circunfixos.

Línguas germânicas[editar | editar código-fonte]

O circunfixo é provavelmente mais conhecido do particípio passado no alemão, que é a ge⟩...⟨t para os verbos regulares. O verbo spielen (jogar), por exemplo, tem o particípio gespielt. Holandês tem um sistema semelhante (spelengespeeld neste caso). Em holandês, o circunfixo ge⟩...⟨te pode ser usado para formar certos substantivos coletivos (berg (montanha) → gebergte (serra)).

Idiomas do leste asiático[editar | editar código-fonte]

Em Japonês, alguns linguistas consideram o⟩...⟨ni naru e s⟩...⟨suru sendo circunfixos honoríficos;[4] por exemplo yomu...→ o⟩...⟨ni naru (respeitoso), o⟩...⟨suru (humilde).

Línguas austronésias[editar | editar código-fonte]

Malaio tem oito circunfixos:

per⟩...⟨kan
per⟩...⟨i
ber⟩...⟨an
ke⟩...⟨n
pen⟩...⟨an
per⟩...⟨an
se⟩...⟨nya
ke⟩...⟨i

Por exemplo, o circunfixo ke⟩...⟨an pode ser adicionado à raiz adil "justo" para formar keadilan "justiça".[5]

Outros idiomas[editar | editar código-fonte]

Na maioria das variedades norte-africanas e de algumas variedades levantinas do árabe, os verbos são negados colocando-se o circunfixo ma⟩...⟨š em torno do verbo junto com todos os seus prefixos e pronomes de objeto direto e indireto com sufixo. Por exemplo, no egípcio bitgibuhum-laha "você os traz para ela" é negado como mabitgibuhum-lahāš "você não os traz para ela".

Nas línguas berberes, o feminino é marcado com o circunfixo t⟩...⟨t. A palavra afus 'mão' torna-se tafust. Em cabila, θissliθ 'noiva' deriva de issli "noivo". De bni, construir, com t⟩...⟨t nós obtemos tbnit "tu constróis".

A negação em Guarani, também é feito com circunfixos: nd⟩...⟨i e nd⟩...⟨mo'ãi para a negação no futuro.

Em algumas línguas eslavas, e em húngaro, o superlativo de adjetivos é formado com um circunfixo. Por exemplo, em tcheco, o circunfixo nej⟩...⟨ší é usado, mladý 'jovem' torna-se nejmladší 'mais jovem'. O circunfixo correspondente em húngaro é leg⟩...⟨bb, como no legnagyobb "maior", a partir de nagy "grande". (Em ambos os casos, a forma comparativa é produzida usando o sufixo sem o prefixo: mladší 'mais jovem'; nagyobb "maior")

Em gurmanchema e wolof, as classes de substantivos são indicados por circunfixos.

Veja também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. «Leipzig glossing rules: Conventions for interlinear morpheme-by-morpheme glosses» 
  2. Tadmor, Uri (2005), «Malay-Indonesian and Malayic languages», in: Strazny, Philipp, Encyclopedia of Linguistics, New York: Fitzroy Dearborn, pp. 644–647 
  3. Colarusso, John (2005), «Georgian and Caucasian languages», in: Strazny, Philipp, Encyclopedia of Linguistics, New York: Fitzroy Dearborn, pp. 380–383  |author-link= e |authorlink= redundantes (ajuda)|author-link= e |authorlink= redundantes (ajuda)
  4. Boeckx, Cedric; Niinuma, Fumikazu (2004), «Conditions on Agreement in Japanese», Natural Language and Linguistic Theory, 22 (3), pp. 453–480, doi:10.1023/B:NALA.0000027669.59667.c5  |journal= e |work= redundantes (ajuda); |DOI= e |doi= redundantes (ajuda)|journal= e |work= redundantes (ajuda); |DOI= e |doi= redundantes (ajuda)
  5. Baryadi, I. Praptomo. Morfologi dalam Ilmu Bahasa. [S.l.: s.n.]