Clareamento da pele

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O termo clareamento da pele faz referência a várias técnicas para o clareamento da pele humana, como por exemplo a aplicação de ácidos ou peeling evasivos para manchas, bem como a aplicação de cremes com posologias ácidas para diminuir as manchas, como é o caso do ácido glicólico, comumente encontrado nas farmácias.

Técnicas[editar | editar código-fonte]

Peeling[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Peeling

O peeling é uma das técnicas de clareamento da pele, que utiliza, dentre outras possibilidades, o ácido tricloroacético.

Despigmentante para a pele[editar | editar código-fonte]

O despigmentante para a pele mais utilizado é a hidroquinona, um composto atua nas células produtoras de melanina, os melanócitos, bloqueando a produção e aumentando a degradação dos melanossomos, os corpúsculos intra-celulares que armazenam a melanina. A hidroquinona também bloqueia a ação da enzima tirosinase, que tem participação na formação da melanina. Este uso é banido em alguns países, como por exemplo na França, por suspeitas de poder causar riscos de câncer,[1] [2] porém isto não foi totalmente esclarecido. Existem cremes de pele, como Super Skin Lightener formulada sem hidroquinona. Além da hidroquinona há outros ácidos utilizados para o clareamento da pele como o acido Kojiko e giberelínico.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Vance, Judi. «The Ugly Side of Beauty» (em inglês). OfSpirit.com. Consultado em 28 de agosto de 2009. 
  2. «Skin bleaching/ lightening & its dangers» (em inglês). pressbox.co.uk. 26 de setembro de 2005. Consultado em 28 de agosto de 2009.