Claudicação

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Claudicação (do latim claudicare, mancar) é um termo médico usado geralmente para se referir ao comprometimento da capacidade de caminhar (marcha), seja por dor, desconforto, dormência ou cansaço nas pernas que piora progressivamente durante uma caminhada e é aliviado pelo repouso.[1]

Claudicação a duas quadras, significa que o desconforto começa após andar duas quadras. Quanto menor o tempo de caminhada antes do desconforto, maior a gravidade da doença.

Causas[editar | editar código-fonte]

Vascular

A claudicação intermitente é um sintoma característico da insuficiência de circulação arterial nos membros inferiores: A claudicação intermitente é uma sensação dolorosa nas pernas que se torna presente durante os exercícios ou caminhar e ocorre como um resultado do déficit de suprimento do oxigênio. Pode ser dividida em limitante ou não limitante. A claudicação limitante consiste em uma dor muscular que surge no indivíduo após ter percorrido uma determinada distância, assim obrigando-o a parar, essa dor passa após alguns minutos parado.

A importância do estudo da claudicação intermitente é tão grande, que o Serviço de Cirurgia Vascular do Instituto Central criou um grupo de estudo e um ambulatório especialmente para esses casos. Nele os pacientes recebem orientação fisioterápica, são acompanhados durante o tratamento e, quando existe necessidade, são operados por técnicas cirúrgicas ou endovasculares.[2]

Geralmente o problema está na panturrilha, sintoma de uma doença vascular periférica, mas também pode estar no tornozelo, pé, coxa, pélvis ou glúteos.

Neurológica

A claudicação espinhal ou neurogênica não se deve à falta de suprimento sanguíneo, mas sim à compressão ou inflamação da raiz nervosa. Pode ser um sintoma de hérnia de disco a nível de L4, L5 ou S1 ou ciática. A dor aumenta com movimentos que comprimam mais o nervo e diminui com movimentos que o comprimam menos, portanto há várias manobras para descubrir onde está o problema.[3] Quando o músculo piriforme é o responsável mancar é um dos síntomas da síndrome piriforme.

Referências

  1. Comer CM, Redmond AC, Bird HA, Conaghan PG (2009). "Assessment and management of neurogenic claudication associated with lumbar spinal stenosis in a UK primary care musculoskeletal service: a survey of current practice among physiotherapists". BMC Musculoskelet Disord. 10: 121. doi:10.1186/1471-2474-10-121. PMC 2762954. PMID 19796387.
  2. http://www.hcenet.usp.br[ligação inativa]
  3. Comer CM, Redmond AC, Bird HA, Conaghan PG (2009). "Assessment and management of neurogenic claudication associated with lumbar spinal stenosis in a UK primary care musculoskeletal service: a survey of current practice among physiotherapists". BMC Musculoskelet Disord. 10: 121. doi:10.1186/1471-2474-10-121. PMC 2762954. PMID 19796387.
Ícone de esboço Este artigo sobre Medicina é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.