Comandante

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Comandante (desambiguação).
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde agosto de 2010)
Por favor, melhore este artigo inserindo fontes no corpo do texto quando necessário.

Comandante é um termo usado nas forças armadas, forças de segurança, marinha mercante, aviação civil ou outras organizações para designar uma função de comando ou uma graduação permanente. O termo pode designar:

  • um posto, graduação ou patente permanente, dentro de certas organizações;
  • a função e, geralmente, a forma de tratamento de uma pessoa que exerce o comando de uma unidade, subunidade, aeronave ou navio.

Função de comandante[editar | editar código-fonte]

Na maioria das organizações militares, o termo "comandante" designa o graduado que exerce a chefia de qualquer unidade, subunidade ou fração. Ocasionalmente, em certas subunidades e frações, normalmente não comandadas por oficiais, o termo "comandante" pode ser substituído pelo termo "chefe".

O termo foi também adoptado pelas forças de segurança, bombeiros e outras organizações civis que mantêm um modelo organizativo inspirado no militar.

Na marinha e na aviação civil, o termo "comandante" é sinónimo de "capitão" e designa o oficial que exerce o comando de um navio ou de uma aeronave. Além disso, nas marinhas de guerra, é a forma de tratamento genérico de todos os oficiais superiores, independentemente de exercerem ou não o comando de um navio.

Patente de comandante[editar | editar código-fonte]

Nas forças armadas de vários países do mundo, existe o posto de comandante, que corresponde a várias patentes. Alguns países onde existe, são:

  • Dinamarca - Kommandør é o posto naval correspondente a capitão de mar e guerra;
  • Espanha - Comandante é o posto militar correspondente a major;
  • Estados Unidos da América - Commander é o posto naval correspondente a capitão de fragata;
  • França - Commandant é a designação genérica do posto militar correspondente a major. Conforme a arma, o posto de commandant tem a designação específica de "chef de bataillon" (infantaria), "chef d'escadron" (cavalaria) ou de "chef d'escadrons" (artilharia);
  • Irlanda - Commander é o posto naval correspondente a capitão de fragata. Commandant é a designação alternativa do posto de major;
  • Noruega - Kommandør é o posto naval correspondente a capitão de mar e guerra;
  • Países Baixos - Commandeur é o posto naval correspondente a comodoro;
  • Polónia - Komandor é o posto naval correspondente a capitão de mar e guerra;
  • Reino Unido - Commander é o posto naval correspondente a capitão de fragata;
  • Roménia - Comandor é o posto naval correspondente a capitão de mar e guerra.

Insígnias e distintivos de patente de comandante[editar | editar código-fonte]

Comandante-chefe[editar | editar código-fonte]

As designações comandante-chefe ou comandante-em-chefe são atribuídas, em alguns países, às funções de altos comandos nas forças armadas. Pode designar o general comandante de uma das componentes das forças armadas, o comandante de um teatro de operações ou o comandante de uma força independente importante. Em alguns países, o título de comandante-chefe, é atribuído ao chefe de estado, na sua função constitucional de comandante supremo das forças armadas, como no Brasil.

Em Portugal, a partir da década de 1950, o termo "comandante-chefe" passou a ser utilizado para designar o comandante das Forças Armadas num determinado teatro de operações. Subordinados, em termos operacionais, aos comandantes-chefes, estavam os comandantes das forças do Exército, da Marinha e da Força Aérea, estacionadas no, respectivo, teatro de operações. Os comandantes-chefes, por sua vez, estavam subordinados ao Chefe do Estado-Maior-General das Forças Armadas. Em cada província ultramarina foi criado um comando-chefe permanente. Além destes, poderiam ser criados outros a título eventual. Normalmente, quando o governador de uma província ultramarina era um militar, o mesmo acumulava essas funções com as de comandante-chefe local. Atualmente, em caso de necessidade, está prevista a criação de comandantes-chefes na dependência do Chefe do Estado-Maior-General, aos quais seria atribuída uma carta de comando, com as missões atribuídas.

Referências[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]