Comissão Internacional de Nomenclatura Zoológica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Comissão Internacional de Nomenclatura Zoológica
(ICZN)
ICZN
Tipo Organização não governamental (ONG)
Fundação 18 de setembro de 1895 (126 anos)
Sede Universidade Nacional de Singapura, Singapura
Línguas oficiais
Sítio oficial site oficial do ICZN

A Comissão Internacional de Nomenclatura Zoológica (ICZN) é uma organização dedicada a "alcançar estabilidade e sentido na nomenclatura científica dos animais". Fundado em 1895, atualmente compreende 24 comissários de 18 países.[1]

Organização[editar | editar código-fonte]

O ICZN é regido pela "Constituição do ICZN", que geralmente é publicada junto com o "Código do ICZN".[2]

Os membros são eleitos pela Seção de Nomenclatura Zoológica,[3] estabelecida pela União Internacional de Ciências Biológicas (IUBS).

O mandato regular de um membro da Comissão é de 6 anos. Os membros podem ser reeleitos até um total de três mandatos completos de seis anos consecutivos. Após 18 anos contínuos de serviço eleito, um intervalo de pelo menos 3 anos é prescrito antes que o membro possa se candidatar novamente.[4]

Atividades[editar | editar código-fonte]

Desde 2014, o trabalho da Comissão é apoiado por uma pequena secretaria sediada na Universidade Nacional de Singapura, em Singapura. Anteriormente, o secretariado era sediado em Londres e financiado pelo International Trust for Zoological Nomenclature.[5] A Comissão auxilia a comunidade zoológica "através da geração e divulgação de informações sobre a utilização correta dos nomes científicos dos animais".[1]

O ICZN publica o Código Internacional de Nomenclatura Zoológica (geralmente referido como "o Código" ou "Código ICZN"), uma convenção amplamente aceita que contém as regras para a nomenclatura científica formal de todos os organismos que são tratados como animais. As novas edições do Código são elaboradas pelo Comitê Editorial indicado pela Comissão.[6] A 4ª edição do Código (1999) foi editada por sete pessoas.[7]

A Comissão também fornece decisões sobre problemas individuais trazidos à sua atenção, uma vez que a arbitragem pode ser necessária em casos contenciosos, onde a estrita aderência ao Código interferiria na estabilidade de uso. Essas decisões são publicadas no Boletim de Nomenclatura Zoológica.[1] A partir de 2017, o Boletim tornou-se um jornal apenas online e se juntou à BioOne, que hospeda do volume 65 em diante do Boletim (2008).[8]

Veja também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. a b c «About the ICZN». International Commission on Zoological Nomenclature. Consultado em 26 de março de 2021 
  2. «The Code Online | International Commission on Zoological Nomenclature». www.iczn.org 
  3. ICZN Code Art. 77.3.1, ICZN Constitution Art. 3.1.1., 4.4.1, 4.5, 11.1.2, 16.1.3
  4. ICZN Constitution Art. 3.1, 3.2
  5. «International Trust for Zoological Nomenclature». ICZN. Consultado em 4 de outubro de 2018 
  6. ICZN Constitution Art. 16.2
  7. W. D. L. Ride, H. G. Cogger, C. Dupuis, O. Kraus, A. Minelli, F. C. Thompson, P. K. Tubbs, as given in the ICZN Code 4th edition (printed version) p. IV.
  8. «Title additions & departures». BioOne. Consultado em 31 de agosto de 2016 

Links Externos[editar | editar código-fonte]