Concertgebouw

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
O Concertgebouw em 2006
O Concertgebouw em 1902

Koninklijk Concertgebouw (em português: Sala de Concertos Real) é uma sala de concertos em Amsterdã e, por sua excelente acústica, está entre as três melhores salas de concerto do mundo, juntamente com o Symphony Hall, em Boston, e o Musikverein, em Viena.[1] É a sede da Orquestra Real do Concertgebouw (Koninklijk Concertgebouworkest).

História[editar | editar código-fonte]

O arquiteto do edifício foi Adolf Leonard van Gendt, que teve como base o Neue Gewandhaus de Leipzig, construído dois anos antes e destruído em 1943, durante a Segunda Guerra Mundial. As obras se iniciaram em 1883 em uma região de pastagem, além dos limites da cidade. Num terreno arenoso, foram fincados 2 186 pilares de 12 a 13 metros de altura. O salão principal foi aberto ao público em 11 de abril de 1888. Nesse concerto inaugural, havia 120 músicos e um coro de 500 cantores, que interpretaram obras de Wagner, Händel, J. S. Bach e Beethoven.

O Grote Zaal (auditório principal) tem 44 metros de comprimento, 28m de largura e 17m de altura, contendo cerca de 2 000 assentos. O tempo de reverberação é de 2,8 segundos, sem público, e 2,2 segundos, com público, fazendo com que essa seja uma sala ideal para o repertório romântico lento, como o de Gustav Mahler. Essa mesma característica a torna pouco apta para a música amplificada.

O Kleine Saal (pequeno auditório) tem forma oval e se encontra atrás do principal. Tem 20 metros de comprimento e 15m de largura. Seu espaço reservado é apropriado para a música de câmara e lieder.

Quando se construiu o Concertgebouw, a acústica era algo como uma ciência oculta: como nas construções de barcos, os desenhistas se baseavam em elementos que haviam dado certo no passado, sem compreender muito bem a ciência envolvida naquilo (mesmo hoje em dia, ainda não se compreende muito bem). Quando a construção foi finalizada, a acústica não era perfeita, e foi preciso muito trabalho para afinar a sonoridade do local. Nas últimas restaurações levou-se isso em conta, com o cuidado de não alterar a decoração do interior.

Na atualidade, no Concertgebouw, são apresentados anualmente cerca de oitocentos concertos para um público de 850 000 pessoas, o que a torna uma das salas de concerto mais frequentadas do mundo.

Compositores no Grote Zaal[editar | editar código-fonte]

Os nomes mais comuns de compositores do Grote Zaal, que apresentaram inúmeras peças no salão são:

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Tapio Lahti and Henrik Möller. «Concert Hall Acoustics and the Computer». ARK-The Finnish Architectural Review. Consultado em 15 de dezembro de 2008. Arquivado do original em 22 de março de 2007 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Concertgebouw