Conjectura de proteção cronológica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A Conjectura de proteção cronológica é uma conjectura proposta pelo físico Stephen Hawking. Trata-se de uma suposta lei física que impediria absurdos como o paradoxo do avô, que eliminaria a clara relação de causa e efeito existente no Universo.[1]

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

A teoria de Albert Einstein sugere que a presença de matéria e energia em um dado local produz uma curva na geometria do espaço e do tempo, encurtando-os ou esticando-os. Essa curvatura existe numa quarta dimensão, que não se pode observar diretamente, mas que pode ser inferida por meio de cálculos matemáticos.[1]

Origem do termo[editar | editar código-fonte]

Em um artigo de 1992, Stephen Hawking usa o dispositivo metafórico de uma " Agência de Proteção Cronológica " como uma personificação dos aspectos da física que tornam impossível o tempo de viagem nas escalas macroscópicas, aparentemente impedindo os paradoxos do tempo. Hawking afirmou: "Parece que há uma agencia de proteção cronológica que previne o aparecimento de CTC's e faz do universo um lugar seguro para historiadores".[2]

Referências

  1. a b Salvador Nogueira. «Para físico, viagem no tempo depende de matéria exótica». Folha de S.Paulo. Uol. Consultado em 15 de outubro de 2017 
  2. Hawking, S. W. (1992). «Chronology protection conjecture». Phys. Rev. D. 46. p. 603. Bibcode:1992PhRvD..46..603H. doi:10.1103/physrevd.46.603