Corsários de Dunquerque

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Wiki letter w.svg
Por favor melhore este artigo ou secção, expandindo-o. Mais informação pode ser encontrada nos artigos correspondentes noutras línguas e também na página de discussão. (agosto de 2012)
Estátua de Jean Bart, um dos mais célebres corsários de Dunquerque

O termo corsários de Dunquerque (em inglês: Dunkirkers) refere-se genericamente aos corsários que tiveram a sua base em Dunquerque, uma cidade flamenga que atualmente faz parte de França. A designação tem usualmente um significado mais específico, designando os corsários ao serviço da Coroa Espanhola durante a Revolta Holandesa (1568–1648), que integravam a chamada frota de Dunquerque, que por sua vez fazia parte da "Armada da Flandres" ao serviço da monarquia espanhola.

Os corsários de Dunquerque operavam não só a partir daquela cidade, como de outros portos da costa flamenga, como Nieuwpoort e Ostende. Ao longo da Guerra dos Oitenta Anos, a armada da República dos Países Baixos tentou repetidamente destruir os corsários. Os primeiros corsários dispunham de um grupo de navios de guerra armados pelo governo espanhol, mas o investimento privado na pirataria levou a que rapidamente a frota crescesse com navios privados.

Apesar das ligações originais com a coroa espanhola, as suas relações com a república holandesa nem sempre foram hostis e foram muitas vezes ambíguas. Os corsários de Dunquerque atuavam sobretudo no mar do Norte, mas ocasionalmente chegaram a operar no mar Báltico, no Mediterrâneo e nas costas da Barbaria. A sua presença entre os flibusteiros ao largo das Américas é praticamente nula, pois o corso nessas paragens era inicialmente dirigida contra os interesses espanhóis. A atividade dos corsários de Dunquerque cessou em 1713, com o desarmamento do porto de Dunquerque previsto no Tratado de Utrecht.

Um dos corsários de Dunquerque mais célebres foi Jean Bart (1650–1703).

Notas e bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Bruijn, J.R.; Wels, C.B. et al. Met Man en Macht, De Militaire Geschiedenis van Nederland 1550–2000, (Balans 2003), p. 59-61: "Bestrijding van de Vlaamse Oorlogsvloot"
  • Cooper, J. P. (1979). The New Cambridge Modern History: Volume 4, The Decline of Spain and the Thirty Years War, 1609-48/49. p. 236. CUP Archive. ISBN 978-0-521-29713-4
  • Nijs, Th. de.; Beukers E., Bazelmans, J. Geschiedenis van Holland (Hilversum 2003), 162.
  • Stradling, R.A. The Armada of Flanders: Spanish Maritime Policy and European War, 1568–1668 (Cambridge Studies in Early Modern History; Cambridge University Press, 1992) ISBN 978-0-521-40534-8 (ed. 2004: ISBN 978-0-521-52512-1)
  • Vliet, A. P. van. The influence of Dunkirk privateering on the North Sea (herring) fishery during the years 1580–1650. In J. Roding & L. Heerma van Voss (eds.), The North Sea and Culture (1550–1800) (Leiden 1996), 150–165, esp. 156.


Ícone de esboço Este artigo sobre História ou um historiador é um esboço relacionado ao Projeto História. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.