Cyber Police ESWAT

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre o jogo de arcade. Para o jogo de Mega Drive, veja ESWAT: City Under Siege.
Cyber Police ESWAT
Desenvolvedora(s) Sega
Publicadora(s) Sega
Projetista(s) Nandemo, Macco; Chan, Seishi; Atsumiya, Mikarin
Compositor(es) Yasuhiro Kawakami[1]
Plataforma(s) Arcade, Amiga, Atari ST, Amstrad CPC, ZX Spectrum, Commodore 64, Master System
Lançamento 1989
Gênero(s) Scrolling shooter
Modos de jogo Um jogador, multijogador
Sistema System 16
Gabinete Upright
Vídeo Raster, resolução padrão

Cyber Police ESWAT (サイバーポリス イースワット?) é um jogo de arcade do tipo shooter de 1989 desenvolvido e publicado pela Sega. Em 1989, a Sega lançou uma versão para o Mega Drive conhecida como ESWAT: City Under Siege. Os jogadores assumem o controle de Duke Oda, um membro da Força Policial Cibernética de Liberty City encarregada de encontrar e prender os criminosos mais procurados da cidade, e eventualmente desmantelar uma organização terrorista que planeja dominar o mundo.

Jogabilidade[editar | editar código-fonte]

A jogabilidade é muito semelhante ao Shinobi da Sega, já que o jogador tem a habilidade de pular para cima e para baixo entre os planos sempre que possível. O objetivo de cada uma das 15 fases do jogo é encontrar e prender um criminoso procurado específico, que geralmente é encontrado no final da fase como um chefe. Duke é inicialmente armado com apenas uma pistola, mas ao prender os três primeiros criminosos e ser promovido a ESWAT, Duke é equipado com um Traje Energizado com uma metralhadora montada pelo resto do jogo. O traje também dá acesso a armas especiais de uso limitado, que podem ser encontradas nas fases. No entanto, ambas as armas padrão de Duke exigem munição, sem as quais o jogador só pode atacar com um chute. Munição adicional pode ser encontrada em caixas ao longo de cada fase.

Hardware/Conversão[editar | editar código-fonte]

O jogo foi lançado no Sega System 16-B, que é construído em torno do M68000 e usa um Z80 e um YM2151 para geração de som mono amplificado. A pinagem System 16 não é compatível com o JAMMA, mas adaptadores JAMMA estão disponíveis e são bastante comuns. O jogo foi lançado em um gabinete dedicado para dois jogadores e também com um kit que continha o adaptador System 16 para JAMMA. Cada jogador requer um botão iniciar, um joystick e três botões de ação (disparar, pular, armas especiais). Este jogo utiliza um monitor de arcade de resolução padrão.

Recepção[editar | editar código-fonte]

A Computer and Video Games chamou o jogo de um cruzamento entre NARC e RoboCop, mas escreveram que "não tem o talento de nenhum dos dois". Avaliando o jogo em 76% no total, eles recomendaram apenas jogar Cyber Police se eles estivessem entediados com os outros dois jogos.[2]

Referências

  1. «Yasuhiro Kawakami» 
  2. «Cyber Police». Computer and Video Games. Novembro de 1989. p. 97 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]