DeepL

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
DeepL
Proprietário(s) DeepL GmbH
Gênero Tradução automática
Cadastro Opcional
Lançamento agosto de 2017; há 5 anos
Posição no Alexa 575 () e 484 ()
Endereço eletrônico deepl.com

O tradutor DeepL (abrev. de deep learning[1]) é um serviço online da DeepL GmbH em Colônia, na Alemanha, de tradução automática, que foi colocado online em 28 de agosto de 2017. No momento de sua publicação, dizem que o serviço tem superado as ofertas de concorrentes como Google, Microsoft e Facebook em estudos duplo-cego.[2][3]

Método de tradução[editar | editar código-fonte]

O serviço utiliza redes neurais convolucionais (CNN) treinadas com a base de dados Linguee. A tradução é gerada por um supercomputador que atinge 5,1 petaflops e é alimentada por energia hidráulica barata na Islândia.[4] As CNNs são, em princípio, um pouco mais adequadas para sequências de palavras longas e coerentes, mas não têm sido utilizadas pelos concorrentes devido às suas fraquezas em favor das redes neurais recorrentes. Os pontos fracos do DeepL são compensados com truques adicionais, alguns dos quais são conhecidos publicamente.[5][6]

Documentos Word em formato .docx e apresentações em PowerPoint (.pptx) também são traduzidos. As notas de rodapé, formatação e imagens incorporadas são mantidas.[7]

As traduções são fornecidas em inglês, francês, alemão, espanhol, italiano, holandês, polonês, português, russo, japonês e chinês em ambas as direções.[8][9]

Uso[editar | editar código-fonte]

Uso grátis[editar | editar código-fonte]

O uso é grátis até um comprimento de texto de 5000 caracteres. Clientes comerciais podem usar uma interface de programação com custos para incorporar DeepL sobre ele em um software próprio. Além disso, DeepL é financiado pela publicidade no site irmão linguee.com.[10]

Assinatura paga[editar | editar código-fonte]

Disponível desde março de 2018, o serviço de assinatura paga DeepL Pro para tradutores profissionais, empresas e desenvolvedores inclui uma interface de programação e um plug-in de software para ferramentas CAT, incluindo o SDL Trados Studio. Ao contrário da versão gratuita, os textos traduzidos não são armazenados, e a limitação de entrada de 5000 caracteres não é mais aplicável. O modelo de preços prevê uma taxa básica mensal, que inclui um montante fixo de texto. Os textos que excedam este valor são cobrados de acordo com o número de caracteres.[11]

Em outubro de 2018, o modelo de preços foi revisto para que, em vez de apenas um modelo de pagamento, várias opções estivessem disponíveis.[12]

História da empresa[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Linguee

A empresa foi fundada em Colônia em 2008 sob o nome de Linguee GmbH por Gereon Frahling e Leonard Fink. Eles construíram um dicionário para 25 idiomas, que poderia ser usado para traduções através de um serviço online.

Com a publicação do "DeepL" em 2017, a razão social da empresa foi alterada para DeepL GmbH.[13]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Welle (www.dw.com), Deutsche. «A alternativa alemã ao Google Translate | DW | 06.12.2018». DW.COM. Consultado em 16 de janeiro de 2020 
  2. Pina Merkert (29 de agosto de 2017). «Maschinelle Übersetzer: DeepL macht Google Translate Konkurrenz». Heise online. Verlag Heinz Heise. Consultado em 30 de agosto de 2017 
  3. Anna Gröhn (17 de setembro de 2017). «Online-Übersetzer im Vergleich: „Ich will den Hals langsam atmen"». Spiegel Online. Consultado em 27 de janeiro de 2018 
  4. Ben Schwan (31 de agosto de 2017). «Maschinenintelligenz: Der Besserübersetzer». Technology Review. Consultado em 27 de janeiro de 2018 
  5. Pouget-Abadie, Jean; Bahdanau, Dzmitry; van Merrienboer, Bart; Cho, Kyunghyun; Bengio, Yoshua (2014). «Overcoming the Curse of Sentence Length for Neural Machine Translation using Automatic Segmentation». Stroudsburg, PA, USA: Association for Computational Linguistics. Proceedings of SSST-8, Eighth Workshop on Syntax, Semantics and Structure in Statistical Translation. doi:10.3115/v1/w14-4009 
  6. Devin Coldewey (29 de agosto de 2017). «DeepL schools other online translators with clever machine learning». TechCrunch. Consultado em 27 de janeiro de 2018 
  7. DeepL (18 de julho de 2018). «Übersetze Dokumente mit DeepL». Consultado em 18 de julho de 2018 
  8. Natalia Smolentceva (5 de dezembro de 2018). «DeepL: Cologne-based startup outperforms Google Translate». Consultado em 6 de dezembro de 2018 
  9. «DeepL Übersetzer kann jetzt auch Japanisch und Chinesisch» (em alemão). 19 de março de 2020. Consultado em 19 de março de 2020 
  10. Ben Schwan (2 de outubro de 2017). «Maschinelles Übersetzen: Deutsches Start-up DeepL will 230 Sprachkombinationen unterstützen». heise online. Heise. Consultado em 17 de janeiro de 2018 
  11. Daniel Berger (20 de março de 2018). «DeepL Pro: Neuer Aboservice für Profi-Übersetzer, Firmen und Entwickler». Heise online. Verlag Heinz Heise. Consultado em 20 de março de 2018 
  12. DeepL (11 de outubro de 2018). «Die neuen DeepL Pro-Preismodelle: Kostenlos testen, günstigere Preise, Team-Accounts». Consultado em 20 de outubro de 2018 
  13. «Unternehmensregister». Bundesanzeiger Verlag. Consultado em 7 de setembro de 2018