Descriminalização

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

A descriminalização (ou descriminação) é a redução de punições criminais para certos atos, por vezes retroativamente (fazendo voltar ao sistema de punição anterior), ainda que possam haver licenças reguladas ou multas. O processo inverso é a criminalização. Descriminalização não é o mesmo que legalização, a remoção de total de todas as punições para um crime; é apenas a redução ou afrouxamento delas.

A descriminalização reflete mudanças nas visões sociais e morais. Uma sociedade pode passar a ver que determinado ato não é mais prejudicial e portanto não precisa mais ser um crime ou que não é um assunto a ser considerado pela justiça penal. Exemplos de assuntos cujas visões em diversos países e sociedades mudaram com o tempo:

Num país federal, certos atos podem ser criminalizados num certo nível do governo mas descriminalizados em outro; por exemplo, nos Estados Unidos, a posse de maconha é descriminalizada em certos estados, mas punida (com multas ou aprisionamento) em outros. Nos últimos tempos, alguns atos têm sido descriminalizados, tais como homossexualidade e adultério, enquanto outros têm sofrido uma criminalização mais acentuada, como o incesto.[2]

Ver também[editar | editar código-fonte]

                                                            

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. «Forum focuses on polygamy woes». Deseret Morning News. 25 de abril de 2007. Consultado em 18 de junho de 2009 
  2. «The Synthetic Necessary Truth Behind New Labour's Criminalisation of Incest». Social & Legal Studies. 23: 113–130. doi:10.1177/0964663913502068 
Ícone de esboço Este artigo sobre um crime ou atividade criminosa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.