Didelphimorphia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde abril de 2016)
Por favor, melhore este artigo inserindo fontes no corpo do texto quando necessário.
Como ler uma infocaixa de taxonomiaDidelphimorphia
Didelphis virginiana

Didelphis virginiana
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Mammalia
Subclasse: Theria
Infraclasse: Marsupialia
Ordem: Didelphimorphia
Gill, 1872
Família atual

A ordem Didelphimorphia engloba a maior parte dos marsupiais que povoam na actualidade o continente americano. São incluídos no clado Ameridelphia e atualmente possui apenas uma família vivente, Didelphidae.

De acordo com os registos fósseis, são os mamíferos mais antigos que chegaram à atualidade, o que aconteceu sem existir grandes variações anatómicas, pelo que de forma geral podem considerar-se como fósseis vivos.

Evolução[editar | editar código-fonte]

Consistem em mamíferos não especializados que surgiram no final do Mesozóico, há 75-100 milhões de anos na América do Norte, de onde emigraram para os outros continentes há 60 milhões de anos, aproximadamente.

Prosperaram, em regiões mais favoráveis, ao deslocarem-se da América do Norte para a do Sul. Desapareceram da Europa, Ásia e África há 20 milhões de anos, possivelmente devido à competição e predação por parte dos animais placentários.

Há 3 milhões de anos, aproximadamente, voltaram a colonizar a América do Norte, embora não com a mesma prosperidade que no sul.

Apesar de não haver dados que provem a existência destes animais na Austrália e Antártida, supõe-se que também as habitaram uma vez que estes estavam unidos.

Assim, estes animais colonizavam praticamente todos os ecossistemas, o que se traduz em espécies com todo o tipo de hábitos alimentares.

Classificação[editar | editar código-fonte]

A família Didelphidae engloba a grande maioria das espécies, tanto vivas como fosséis dos didelfimorfos. Permanecem ainda alguns géneros e espécies de classificação incerta (incertae sedis). A sequência linear segue McKenna e Bell (1997):

  • Ordem Didelphimorphia Gill, 1872 sensu Marshall, Case e Woodburne, 1990
    • Gênero †Camptomus Marsh, 1889 incertae sedis
      • Camptomus amplus Marsh, 1889
    • Gênero †Iqualadelphis Fox, 1987 incertae sedis
      • Iqualadelphis lactea Fox, 1987
    • Gênero †Adinodon Hershkovitz, 1995 (Adinodontinae) incertae sedis
      • Adinodon pattersoni Hershkovitz, 1995
  • Família Didelphidae Gray, 1821
  • Família †Sparassocynidae Reig, 1958 sensu Archer, 1984
    • Gênero †Sparassocynus Mercerat, 1898
      • Sparassocynus bahiai Mercerat, 1898
      • Sparassocynus derivatus (Reig e Simpson, 1972)
      • Sparassocynus heterotopicus Villaroel e Marshall, 1983

Referências[editar | editar código-fonte]

  • GARDNER, A. (2005). in Wilson, D. E., Reeder, D. M. (eds). Mammal Species of the World. 3ª edição, Johns Hopkins University Press, 3-18.
  • McKENNA, M.C., BELL, S.K. (1997). Classification of Mammals Above the Species Level. Columbia University Press, New York.
  • MYERS, P. (2001). Didelphimorphia (On-line), Animal Diversity Web. Acessado em 5 de março de 2008.