Dimas Macedo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Dimas Macedo
Nome nativo Dimas Macedo
Nascimento 14 de setembro de 1956 (63 anos)
Lavras da Mangabeira
Cidadania Brasil
Alma mater Universidade de Fortaleza, Faculdade de Direito da Universidade Federal do Ceará
Ocupação advogado, professor, escritor
Prêmios Academia Cearense de Letras
Empregador Universidade Federal do Ceará, Universidade de Fortaleza

Dimas Macedo (Lavras da Mangabeira, 14 de setembro de 1956) é um escritor, professor e jurista brasileiro, membro da Academia Cearense de Letras.[1][2][3]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filho de José Zito Macedo (Zito Lobo, poeta) e Maria Eliete de Macedo. Estudou em sua cidade natal (Grupo Escolar Filgueiras Lima e Colégio São Vicente Ferrer) e em Fortaleza (Colégios Joaquim Albano e João Hipólito de Azevedo e Sá). Bacharel em Direito pela Universidade de Fortaleza (agosto de 1981). Mestre em Direito pela Universidade Federal do Ceará (1987), e Livre-Docente em Direito Constitucional (2012).[4]

Foi professor de Direito Constitucional e Chefe do Departamento de Direito da UNIFOR. Professor de Direito Constitucional da Faculdade de Direito da Universidade Federal do Ceará. É Procurador do Estado do Ceará.

Como escritor, pesquisador, ensaísta e jurista, tem artigos literários, culturais e científicos publicados em jornais e revistas nacionais, destacando-se, no Ceará, como articulista dos jornais O Povo, Tribuna do Ceará e Diário do Nordeste.[5][6]

Ensaísta e crítico literário, integra o conselho editorial de vários jornais e revistas culturais. Poeta, cuja poesia apresenta uma acentuada tonalidade lírica e telúrica; muitos dos seus poemas e textos literários foram vertidos para o inglês e espanhol e publicados em Portugal, Espanha, Inglaterra, Argentina e Estados Unidos.[7][8][9]

Ingressou na Academia Cearense de Letras no dia 19 de outubro de 1989, aos 32 anos, ocasião em que foi saudado pelo acadêmico Sânzio de Azevedo. Ocupa a vaga deixada pelo poeta José Valdivino de Carvalho, cujo patrono é o historiador Guilherme Studart (Barão de Studart). Participou da diretoria da ACL como secretário e membro do conselho fiscal. Participa também da Associação Brasileira de Bibliófilos.[10][11]

Como constitucionalista e teórico do Direito, é autor de diversos livros publicados por grandes editoras do Brasil.

Obra[editar | editar código-fonte]

  • A Distância de Todas as Coisas (1980),
  • Lavrenses Ilustres (1981)),
  • Leitura e Conjuntura (1984),
  • Ensaios de Teoria do Direito (1985; 7ª ed. 2019),[12]
  • O Discurso Constituinte (1987; 3ª ed. 2009)
  • A Metáfora do Sol, (1989),
  • Lavoura Úmida, (1990),
  • Ossos do Ofício, (1992),
  • Estrela de Pedra, (1994),
  • Liturgia do Caos, (1996),
  • Tempo e Antítese, (1997),
  • Crítica Imperfeita, (2001),
  • A Face do Enigma, (2002),
  • Vozes do Silêncio, (2003),
  • Política e Constituição, (2003),
  • Crítica Dispersa, (2003),
  • Ensaios e Perfis, (2004),
  • A Letra e o Discurso, (2006),
  • Sintaxe do Desejo, (2006)
  • O Rumor e a Concha, (2008),
  • Crítica e Literatura (2008),
  • Estado de Direito e Constituição, (2010),
  • El Pensamiento Político de Paulo Bonavides, (2010),
  • A Brisa do Salgado (2011),
  • Afonso Banhos - Ensaios de Filosofia (2013),
  • Guadalupe, (2014),
  • Direito Constitucional (2015; 2ª ed. 2019),[13]
  • Resenhas e Perfis (2016),
  • Dona Fideralina Augusto - Mito e Realidade (2017),[14]
  • Codicírio (2018)
  • Rimance de Infância e Outros Poemas (2020).

Referências

  1. «DIMAS MACEDO – Brasil – POESIA DOS BRASIS – CEARÁ - www.antoniomiranda.com.br». www.antoniomiranda.com.br. Consultado em 30 de dezembro de 2018 
  2. «Academia Cearense de Letras - Site oficial». www.ceara.pro.br. Consultado em 30 de dezembro de 2018 
  3. «Dimas MACEDO». portal.ceara.pro.br. Consultado em 30 de dezembro de 2018 
  4. «Faculdade de Direito». www.fadir.ufc.br. Consultado em 30 de dezembro de 2018 
  5. Online, O. POVO. «Dimas Macedo lança obra sobre a história de Fideralina Augusta». www.opovo.com.br. Consultado em 30 de dezembro de 2018 
  6. «Batista de Lima: O "Codicírio" de Dimas». Diário do Nordeste. Consultado em 30 de dezembro de 2018 
  7. «Jornal de Poesia - Dimas Macedo». www.jornaldepoesia.jor.br. Consultado em 30 de dezembro de 2018 
  8. Alcântara, Anísio; Fotografia. «Escritor Dimas Macedo é o convidado do Autores e Ideias desta terça-feira». www.al.ce.gov.br. Consultado em 30 de dezembro de 2018 
  9. «Lançamento da obra de Direito Constitucional do Prof. Dimas Macedo». Unichristus. 12 de maio de 2015. Consultado em 30 de dezembro de 2018 
  10. «Academia Cearense de Letras - Site oficial». www.ceara.pro.br. Consultado em 30 de dezembro de 2018 
  11. «Academia Cearense de Letras - Site oficial - A Antologia da ACL». www.academiacearensedeletras.org.br. Consultado em 30 de dezembro de 2018 
  12. Macedo, Dimas. Ensaios De Teoria Do Direito. [S.l.]: Lumen Juris - Rj. ISBN 9788584401222 
  13. Macedo, Dimas (2015). Direito constitucional. [S.l.]: Editora Lumen Juris. ISBN 9788584401758 
  14. Macedo, Dimas (19 de novembro de 2018). Dona Fideralina Augusto: Mito e realidade. [S.l.: s.n.] ISBN 9788584920501 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

https://tuliomonteiroblog.wordpress.com/2020/02/18/em-torno-de-sinha-damora-por-dimas-macedo/

https://tuliomonteiroblog.wordpress.com/2020/02/19/o-poeta-e-a-musa-poema-de-jorge-furtado-a-dimas-macedo/

https://issuu.com/edicoesdemocritorocha/docs/degus_sinh__d_amora

https://www.skoob.com.br/sinha-damora-791374ed794572.html