Dimitar Dimov

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Disambig grey.svg Nota: Se procura o futebolista homónimo, veja Dimitar Dimov (futebolista).
Dimitar Dimov
Nascimento Димитър Тодоров Димов
25 de junho de 1909
Lovech
Morte 1 de abril de 1966 (56 anos)
Bucareste
Sepultamento Cemitério Central de Sófia
Cidadania Bulgária
Ocupação autor, veterinário, professor(a) universitário(a), escritor, prosista, dramaturgo
Empregador Universidade de Sófia
Causa da morte doença cerebrovascular

Dimitar Todorov Dimov (em búlgaro: Димитър Тодоров Димов) (Lovech, 25 de junho de 1909-Bucareste, 1 de abril de 1966) foi um escritor búlgaro. Licenciado em medicina veterinária e microbiólogo pela Universidade de Sófia, foi principalmente novelista e dramaturgo.

De 1939 a 1946 trabalhou como professor adjunto de anatomia na Faculdade de Medicina Veterinária da Universidade de Sófia. Em janeiro de 1943, especializou-se em histologia do sistema nervoso no Instituto Cajal em Madrid. De 1946 a 1949 lecionou na Faculdade de Agronomia em Plovdiv, e de 1949 a 1952, foi professor associado na Academia de Agronomia de Sófia. A partir de 1953 foi professor de anatomia, embriologia e histologia de vertebrados da Academia Nacional de Ciências "G. Dimitrov" em Sófia.

Nascido em Lovech, Dimov é mais conhecido pelo seu romance mais vendido Tabaco (búlgaro: Тютюн, translit. Tyutyun, 1951) que foi transformado no filme Tabaco de 1962 dirigido por Nikola Korabov.[1] O enredo do Tabaco de Dimov lida com os destinos de uma série de personagens ligados a uma grande fábrica de tabaco. O fio condutor da trama é a história de Boris, um jovem ambicioso de más origens que renuncia ao seu primeiro amor Irina para se casar com Maria, a herdeira do negócio do tabaco. Ele continua a conduzir o negócio com grande ganância e crueldade. A descida da sua esposa à insanidade e à morte no casamento sem amor permite-lhe casar-se com Irina, que estudou para se tornar médica, mas é seduzida pela promessa da vida luxuosa como amante e, eventualmente, cônjuge de um rico proprietário de uma fábrica. No entanto, a sua vida comum é envenenada pelos acontecimentos anteriores e pelo seu próprio egoísmo e decadência moral. Outras personagens, incluindo um irmão de Boris e um amigo de Irina que trabalha na fábrica, são dedicadas ao movimento comunista e à sua luta; estes e vários outros enredos fazem do livro uma imagem mais ampla da Bulgária capitalista nos anos que antecederam a tomada comunista do poder. O romance critica o egoísmo, o carreirismo, a ganância e a exploração característicos da sociedade de classes que retrata do ponto de vista socialista.

Outros romances da autoria de Dimov são o Tenente Benz (1938), uma história de amor fatal entre personagens imperfeitos durante a Primeira Guerra Mundial; e Doomed Souls (1945), um conto trágico da obsessão apaixonada de uma jovem inglesa dissoluto com um fanático e reacionário conjunto jesuíta na Espanha durante a guerra civil. As suas peças incluíam Férias em Arko Iris and Mulheres com um Passado.[2]

Dimov morreu no aeroporto de Bucareste, na Roménia, vítima de doença súbita.[3]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • (em búlgaro) Dimítar Vesselínov. Френската лексика в романа "Тютюн" [Vocabulário francês em "Tabaco"], Sófia, Ciela, 2009, 304 p.
  • (em búlgaro) Ekaterina Ivanova. Димитър Димов. Архив, 2009.
  • (em búlgaro) Димитър Димов век по-късно. Jubileu de nova investigação no centenário do nascimento. Instituto de Literatura - Academia Búlgara de Ciências. Editora "Karina-Mariana Todorova", Sófia, 2012, 198 p.
  • (em búlgaro) Neli Dospevska. Познатият и непознат Димитър Димов. Sófia: Profizdat, 1985, 223 p.

Referências

  1. Wielka encyklopedia PWN. 7. Warszawa: Wydawnictwo Naukowe PWN. 2002. p. 186 
  2. Rubin, Don (1994). The World encyclopedia of contemporary theatre. [S.l.]: Taylor and Francis. p. 159. ISBN 0-415-05928-3 
  3. Milena Kacosheva. «On some Donations to the Dimitar Dimov House-Museum». 2018