Discussão:Juscelino Kubitschek

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Plano de Metas[editar código-fonte]

Em seu discurso, Juscelino afirmava que o país estaria passando por um momento de transição econômica, onde deixaria de ser um país agrário exportador para se tornar um país urbano industrial e abrindo a economia do País para a entrada de capital estrangeiro, minimizando, também, a interferência estatal do setor econômico.

Assim surgia o Plano de Desenvolvimento, que veio a ficar conhecido como Plano de Metas ou os 50 anos em 5, tendo por objetivo aceleração do desenvolvimento econômico como prioridade para que o País pudesse passar por uma transformação estrutural, tendo o maior estímulo da indústria em detrimento do setor agrícola, considerado o setor mais importante da economia brasileira na conjuntura vivida. A elaboração do plano se deu a partir da Crise de 1929, da II Guerra Mundial e da Crise Agroexportadora, usando como base estudos do BNDE (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico), que tinha em vista a evolução econômica e os fatores que a impediam.

A política aplicada estava voltada para industrialização, enfocando a utilização de matéria-prima nacional como meio facilitador, visto a abundância de recursos naturais presentes no país. Outro objetivo do plano era reverter a demanda reprimida por bens de consumo duráveis, e, assim, ajudar a desenvolver no crescimento de outros setores da economia brasileira, estimulando os setores econômicos e gerando emprego.

Seu investimento foi voltado para 5 setores, sendo eles o setor de energia, setor de transporte onde se passaria da ferrovias para rodovias, setor alimentício, indústria de base e educação. A concentração dos investimentos estatais em infraestruturas, como de ferrovia para rodovia e energia elétrica, era um ponto crucial na política adotada. Os bens de consumo duráveis, a produção de alimentos, produção de bens de capital (aço, carvão, cimento e zinco) eram setores com forte estímulo na época.

O Plano de Metas teve seus projetos financiados a partir dos fundos públicos, tendo participação com 50% dos recursos, pelo setor privado e também agências creditícias do governo. Porém, com a ausência de uma reforma fiscal adequada com as metas colocadas, esses investimentos públicos precisaram ser financiados por uma emissão monetária, alimentando o processo de elevação inflacionária. A inflação vinda da expansão monetária, financiando gastos públicos e aumento de crédito para o investimento privado, também foi um dos principais mecanismos de financiamento.

Teve seu caráter desenvolvimentista, foi considerado um grande sucesso por alcançar a maioria das metas objetivadas, além de estabelecer os preços em um ambiente político democrático. A industrialização foi significativa, elevando a produção de tecnologias e a produção de automóveis, que impulsionou o crescimento de setores importantes, mas também trouxe problemas inflacionários por conta de questões macroeconômicas, aumentando a desigualdade e a dívida externa.

REFERÊNCIAS

BRAGA, Francisco Laercio Pereira. Fundamentos da Economia Brasileira: Plano de Metas de JK e o comportamento da Economia Brasileira durando o Regime Militar e a década de 1970: o clico crise, milagre e crise financeira. Ed. 1. FGF. Fortaleza, 2012.

DA SILVA, Suely Braga. 50 anos em 5: o Plano de Metas. O Governo de Juscelino Kubitschek. FGV Rio. Rio de Janeiro. Disponível em: http://cpdoc.fgv.br/producao/dossies/JK/artigos/Economia/PlanodeMetas

_______. Presidência da República. Programa de Metas do Presidente Juscelino Kubitschek. Estado do Plano de Desenvolvimento Econômico. Rio de Janeiro, 1958.

Há um erro[editar código-fonte]

A informação que JK teria sido torcedor do Atlético não é verdadeira. Ele foi sim torcedor do América Futebol Clube, onde inclusive jogou , como amador.

É comum o pessoal que edita artigos sobre futebol, serem imparciais. Por mim retiraria a parte do texto que se refere a futebol. --OS2Warp msg 18:04, 12 Julho 2006 (UTC)


"contraiu um resfriado que passou para pneumonia e deu origem a uma tuberculose". Tuberculose não é uma progressão do resfriado. É uma doença bacteriana que não se origina de um agravamento da pneumonia.

Parcialidade??[editar código-fonte]

Não acho muito parcial, principalmente o trecho: "Juscelino Kubitschek empolgou o país usando fartamente os recursos públicos, graças ao endividamento..." (onde, em qual estudo ou biografia, exatamente este é um fato de consenso?)("empolgar um país usando fartamente os recursos" também não é uma frase imparcial, mesmo que tenha havia gastos exagerados esta não é uma forma muita parcial de se dizer isto.) Esta é uma afirmação muito simplista diante do que é a administração pública, principalmente nos idos dos anos 50. É consenso que a dívida externa aumentou. Mas como construir uma cidade do porte de uma Capital Federal sem gastar recursos ou recorrer a empréstimos? E como fazer grandes obras de infra-estrutura, como estradas, sem recursos também?

É.. o texto está um tanto parcial.. esteja livre para tirar esta parcialidade. --Gabrielt4e 19:34, 25 Janeiro 2006 (UTC)

O texto é fraco, simplista e mal redigido. Corrigi apenas algumas datas que estavam erradas, mas o texto merece uma revisão geral. C. Amaral


É simplista, mas não merece mais do que aí está. Na falta de uma personalidade nacional mais digna, JK tem recebido muito destaque ultimamente. Destaque, na minha opinião imerecido. Sua maior obra, a construção de Brasília, é uma aberração. Se soa bizarro, hoje, construirmos uma nova capital, digamos, no Acre, certamente soou bizarro construir uma nova capital no planalto central naquela época. As pessoas de então não eram menos inteligentes ou menos sensatas para não perceber isso. Lembro que as raízes da construção de Brasília estão na primeira constituição da República, que previa a interiorização da capital por questões de segurança. Em 1960 isso já não fazia mais sentido. Já haviam mísseis balísticos intercontinentais e bombardeiros estratégicos de longo alcance. A outra justificativa, a inteririozação do desenvolvimento, também é estapafúrdia. Se mover uma capital já tem custos inconcebíveis, mover um parque industrial, muito mais. E para levar o desenvolvimeto para o interior, não precisava levar a capital. Haja vista a finada Zona Franca de Manaus. Se uma idéia dessas, hoje, só iria para frente à custa de muita corrupção para ser aprovada pelo congresso e demais poderes, porque seria diferente na época? Enfim, levou o país a um endividamento totalmente desnecessário. Foi a concretização de um sonho megalomaníaco. Quanto à euforia desenvolvimentista que surtou, não passou da teoria da vidraça quebrada de Jacques Bonhomme posta em prática. JK não foi melhor do que nenhum que o tenha precedido ou sucedido. As linhas simplistas estão mais do que justas.

Mauricio Hofmam (05/10/2007)

Falou, falou e não falou nada. É muito desnecessário fazer tanto discurso para uma conclusão tão simples. Joanpedro (discussão) 01h37min de 14 de novembro de 2016 (UTC)

Reversão[editar código-fonte]

Reverti vandalismo feito pelo anônimo 200.225.242.66, que além de vândalo, é ladrão: ele praticamente apagou o artigo inteiro, e trocou-o por uma cópia chupada do site aol.universiabrasil.net. --Andre v 18:26, 25 Maio 2006 (UTC)

Trecho Corrupção[editar código-fonte]

Apaguei um trecho duplicado sobre Corrupção. --Silvio Delgado 00:53, 01 Junho 2006 (UTC)

Acidente[editar código-fonte]

Vou fazer uma pequena edição no artigo, no trecho que fala sobre o acidente que JK sofreu, há exatos 31 anos. Para ser mais específico, foi no Km 328 da Via Dutra, no distrito de Engenheiro Passos, em Resende, próximo à divisa com o estado de São Paulo. O local até hoje é conhecido como "curva do JK"

David Freitas 20h46min de 22 de Agosto de 2007 (UTC)

Reversão[editar código-fonte]

Corrigi outra alteração relativa ao time de futebol, em Vida e Carreira Política. --Bertoche Neto 10h43min de 7 de Novembro de 2007 (UTC)

Pai vs. pai adotivo?[editar código-fonte]

Removi a indicação de que JK foi pai adotivo de Maristela. Dizer nesta ordem, "foi pai de X e pai adotivo de Y" tem o valor semântico de diferenciar a paternidade biológica da paternidade adotiva, o que traz uma conotação negativa para a adoção. No artigo sobre Maria Estela, tudo bem, é perfeitamente relevante colocar essa informação. – Tintazul msgÁfrica 12h08min de 17 de Julho de 2008 (UTC)

nota de rodapé[editar código-fonte]

O lembrete no topo é errado, o artigo tem sim nota de rodapé, gostaria que tirassem o lembrete. Usuário:Paulogetulio 18 de abril de 2009.

Etnia cigana[editar código-fonte]

JK era descendente de indivíduos de etnia cigana, da família de sua mãe. Com a mesma firmeza com que caracterizamos Carlos Minc, neto de judeus poloneses, como um dos Judeus do Brasil, podemos dizer que JK é um dos Ciganos do Brasil, tendo em vista que ambas são classificações étnicas comumente aceitas. Fonte: Zarko Fernandes — "Juscelino Kubitschek “Jussa”: O Estadista Cigano". Missionary (discussão) 00h41min de 7 de setembro de 2009 (UTC)

Kubitschek doesn't have Gypsy descent. The story goes something like this. In the Middle Ages, the Gypsies came to France via Bohemia and they started to be called Bohemes. This name eventually entered other Romance languages like Spanish or Portuguese. And this was how it came to Brazil. So Kubitschek is of Czech/Bohemian (coming from Bohemia) descent, not Romani/Gypsy descent, which is repeated only because of the confusion. 37.48.4.220 (discussão) 21h33min de 28 de junho de 2016 (UTC)

Parcial[editar código-fonte]

O artigo tem vários trechos que parecem POV pessoal, sem qualquer fonte que os fundamente. Exemplos: "Juscelino Kubitschek é, ainda hoje, um dos políticos mais admirados do cenário político nacional, e é considerado um dos melhores presidentes que o Brasil já teve, por sua habilidade política, por suas realizações e pelo seu respeito às instituições democráticas" e "Os anos dourados inspiraram o espírito otimista e inovador, consagrando assim o governo de Juscelino Kubitschek.".--- Darwin Alô? 14h09min de 6 de março de 2010 (UTC)

GE[editar código-fonte]

Caro IP,

Se ainda não percebeu, estou tentando melhorar o artigo colocando referências. SE AINDA NÃO PERCEBEU, QUERO FAZER UMA "REVOLUÇÃO" AQUI. Estou lendo vários livros, e vendo fontes na internet. Este artigo ainda vai mudar muito para melhor (se depender de mim). Quero levá-lo a nível destacado, mas não posso admitir que alguém que nem se quer sabe o que é um artigo excelente se meta no meio. O que disseste Citação: não posso aceitar que apague um texto tão excelente com o pretexto de contribuir diff não faz sentido nenhum. Tenho a quase certeza de que não leu o que lá estava escrito, e tenho mais certeza ainda de que não sabes o que é um artigo "excelente". Não estou eliminando nada, ao contrário. PS.: Revolução neste contexto significa mudança.--RafaWiki (Pois Não?) 15h28min de 2 de junho de 2012 (UTC)

gabinete[editar código-fonte]

O quadro com o gabinete de Juscelino está ótimo! Idealmente, deveria haver um assim para cada ex-presidente do Brasil! Quem tem as informações para isso? Estou encontrando dados para alguns governos passados, mas não tão completos. --Betty VH (discussão) 20h33min de 15 de março de 2013 (UTC)

Eu copiei o código de artigos dos presidentes argentinos na versão espanhola (es:Cristina_Fernández_de_Kirchner#Ministerios). Na língua inglesa tem alguns modelos parecidos (en:Template:Obama cabinet infobox). Smiley.svg --Rafa Kenneth 14h59min de 16 de março de 2013 (UTC)

radioamador[editar código-fonte]

Juscelino era radioamador, prefixo PY1JKO.

Morte[editar código-fonte]

Faleceu em 22 de agosto de 1976, em um desastre automobilístico, estranho, em que o motorista apareceu com uma bala no cérebro, própria de Guerrilheiro, segundo fontes da segurança em 1976, em que também perdeu a vida seu motorista, que teve morte cerebral e amigo Geraldo Ribeiro no antigo quilômetro 165 (atual quilômetro 328) da Rodovia Presidente Dutra, em um automóvel Chevrolet Opala,76 na altura da cidade fluminense de Resende, no qual o veículo onde ele estava, colidiu violentamente com uma carreta carregada de gesso.

Este trecho, perdoem o vocábulo, está uma completa putaria! Uma frase corrida, beirando o incompreensível, e contaminada por insinuações sem referência. E não é mencionada - li numa revista da época, creio que era uma Manchete - a hipótese do motorista ter perdido o controle ao sofrer um ataque cardíaco. -- Stormwatch (discussão) 10h24min de 13 de outubro de 2013 (UTC)

Possível erro? outro presidente cigano[editar código-fonte]

JK foi o único presidente de origem cigana em todo o mundo.

Na página sobre Washington Luís em inglês, é dito[1] que sua família é de origem romani. Mas isto não é mencionado na página em português, nem tem fonte. Seria interessante averiguar. -- Stormwatch (discussão) 10h47min de 13 de outubro de 2013 (UTC)

As I've already noted on English Wikipedia, Kubitschek is NOT of Gypsy origin. In the Middle Ages, the Gypsies came to western Europe also via Bohemia and they started to be called Bohemes. The Portuguese language took this word and transitioned this word to Brazil. Then somebody read that Kubitschek is of Bohemian descent - which is correct, but in this case it means the Czech descent, the descent from the Czech region of Bohemia, NOT the Gypsy origin. 37.48.4.220 (discussão) 21h41min de 28 de junho de 2016 (UTC)

Adjetivação indevida dos golpistas[editar código-fonte]

Na parte das manifestações contra JK, a Revolta de Jacareacanga tem sido colocada como que promovida por "comunistas" (que acusavam o presidente de "dificultar a infiltração de Comunistas nos postos militares de alto-comando"). Isso parece, salvo melhor juízo, uma colocação explicitamente inapropriada. Especialmente quando outras informações dão conta de que Haroldo Veloso, golpista colocado no texto como comunista, teria participado do levante seguinte contra JF e mesmo atingido posto máximo após o regime militar de 64. Pauloacbjr (discussão) 17h08min de 1 de abril de 2014 (UTC)

A propósito, olhando melhor, texto contém várias inserções/referências a "Comunistas" (em maiúscula) de forma um tanto quanto suspeita...

Alterados os trechos suspeitos para a versão do texto datada de 06/09/2013, anterior a referidas alterações.Pauloacbjr (discussão) 17h42min de 1 de abril de 2014 (UTC)