Ducado do Palatinado-Neuburgo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa



Herzogtum Pfalz-Neuburg
Ducado do Palatinado-Neuburgo
Banner of Bavaria-Landshut.svg
1505 – 1808 Flag of Bavaria (striped).svg

Brasão de Neuburgo

Brasão

Localização de Neuburgo
Continente Europa
Capital Neuburgo do Danúbio
Língua oficial alemão (Austro-Bávaro)
Governo Monarquia
Duque do Palatinado-Neuburgo Otão Henrique, Eleitor Palatino e Filipe do Palatinado-Neuburgo
História
 • 1505 Criação na sequência da Guerra da Sucessão de Landshut
 • 1808 Integração no Reino da Baviera

O ducado do Palatinado-Neuburgo (em alemão: Herzogtum Pfalz-Neuburg), também designado ducado Palatino de Neuburgo ou, ainda, Novo Palatinado (Junge Pfalz [1]) é um antigo estado do Santo Império Romano-Germânico criado em 1505 na sequência da Guerra da Sucessão de Landshut.

Este ducado situava-se na região do Alto Palatinado e não no Palatinado Renano. A sua capital era Neuburgo do Danúbio. A sua área era cerca de 2.750 km², com uma população de 100.000 habitantes.

História[editar | editar código-fonte]

Após a Guerra da Sucessão de Landshut, a maior parte dos territórios do ducado da Baviera-Landshut foram integrados no ducado da Baviera-Munique. Contudo, uma pequena parte dos territórios, dispersos a norte do Danúbio, viriam a constituir o novo Ducado do Palatinado-Neuburgo, criado para os dois herdeiros da linha dos duques da Baviera-Landshut: Otão Henrique e Filipe.

Estes dois pequenos príncipes, cujos pais haviam morrido em 1504, foram assim compensados pelo desaparecimento da Baviera-Landshut e, por ainda serem menores, ficaram sob a regência primeiro do seu avô paterno, Filipe, Eleitor Palatino e, quando este morreu, do tio paterno Frederico II, Eleitor Palatino.

Filipe morre em 1546, ficando o seu irmão a reinar sozinho. Com a morte do tio paterno (Frederico II) sem descendência, Otão Henrique torna-se também eleitor palatino. Mas em 1559 Otão Henrique também morre sem descendência, pelo que os seus estados são partilhados pelo Tratado de Sucessão de Heidelberga: o Palatinado Renano (Älte Pflaz [2]) é entregue a Frederico III que já era conde do Palatinado-Simmern; e o Palatinado-Neuburgo (Junge Pfalz [3]) é entregue a Wolfgang, que já era conde do Palatinado-Zweibrücken.

O Palatinado-Neuburgo é partilhado por duas vezes. A primeira, em 1569, quando o Duque Wolfgang morre, e os seus estados são partilhado pelos filhos:

  • Filipe Luís (1547-1614), dá continuidade à linha de Neuburgo (extinta em 1742) e origina a nova linha de Sulzbach (extinta em 1789);
  • João (1550-1604), morto sem descendência, que reinou em Zweibrücken;
  • Otão Henrique (1556-1604), morto sem descendência, que reinou em Sulzbach;
  • Frederico (1557-1597), morto sem descendência, que reinou em Vohenstrauss-Parkstein;
  • Carlos I (1560-1600), que originou a linha de Zweibrücken-Birkenfeld, a única linha dos Wittelsbach que ainda hoje sobrevive.

Em 1604, o ducado é reunificado a favor de Filipe Luis, uma vez que seus irmãos morrem sem descendência.

A segunda partilha ocorre em 1614, quando Filipe Luís morre:

  • Wolfgang Guilherme (1579-1653), o primogénito, dá continuidade à linha de Neuburgo (que se extingue em 1742);
  • Augusto (1582-1632), o segundo varão, origina a linha de Sulzbach (extinta em 1789).

A linha do Palatinado-Sulzbach acaba por herdar o Palatinado-Neuburgo que se extinguira em 1742. O último duque da linhagem, Carlos Teodoro (1724-1799) acaba por herdar também o Eleitorado da Baviera em 1777. Mas a sua morte sem descendência faz com que toda a sua herança se transmita ao seu primo, Maximiliano IV José (da linha de Zweibrücken-Birkenfeld) que agrega um património disperso que incluía o Eleitorado da Baviera, o Ducado de Neuburgo e o ducado renano de Zweibrücken.

O Palatinado-Neuburgo aderiu à União Protestante em 1608. Em 1800, Neuburgo foi invadido pelas tropas Francesas e em 26 de junho de 1800, os exércitos dos Habsburgos, do Ducado de Württemberg e do Eleitorado da Baviera travaram aí uma importante batalha. Mas os exércitos da coligação retiraram e Neuburgo foi ocupada pelos franceses e o General Ney estabeleceu o quartel general no castelo da cidade.[4]

Maximiliano IV José que, entretanto, se aliara a Napoleão, torna-se, em 1806, o primeiro rei da Baviera, como Maximiliano I. Em 1808, o ducado do Palatinado-Neuburgo é formalmente integrado no reino da Baviera.

Árvore Genealógica[editar | editar código-fonte]

 (em construção)




Soberanos do Palatinado-Neuburgo[editar | editar código-fonte]

Título[editar | editar código-fonte]

O castelo de Neuburgo, residência dos duques.

O título dos soberanos era Conde palatino no Reno e Duque na Baviera (em alemão: Pfalzgraf bei Rhein und Herzog in Bayern). Na sua qualidade de membros de um ramo colateral da família do Príncipe-Eleitor do Palatinado, os soberanos usavam o título Conde Palatino (no Reno[5]). O seu outro título de Duque na Baviera referia-se ao Palatinado-Neuburgo, localizado no Alto Palatinado bávaro.

Lista de Duques[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. assim chamado por ser governado pela linha junior do ramo Palatino dos Wittelsbach
  2. em português: "antigo Palatinado", referindo-se à linha palatina senior
  3. em português: "novo Palatinado", referindo-se à linha palatina junior
  4. Marceau, p 105.
  5. onde se localizava o Eleitorado do Palatinado

Bibliografia[editar | editar código-fonte]