João Guilherme, Eleitor Palatino

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
João Guilherme
Eleitor Palatino
Duque do Palatinado-Neuburgo
Duque de Jülich e Berg
Jan Frans van Douven 003.jpg
Retrato de Carlos III Filipe, Eleitor Palatino
Reinado 1716–1742
Consorte (1) Maria Ana Josefa da Áustria,
(2) Ana Maria Luísa de Médici.
Dinastia Wittelsbach
Nascimento 19 de abril de 1658
  Dusseldorf, Palatinado
Morte 8 de junho de 1716 (58 anos)
  Dusseldorf, Palatinado
Pai Filipe Guilherme, Eleitor Palatino
Mãe Isabel Amália de Hesse-Darmstadt

João Guilherme, Eleitor Palatino (em alemão Johann Wilhelm, em Baixo alemão Jan Wellem), (Dusseldorf, 19 de abril de 1658 - Dusseldorf, 8 de junho de 1716) foi um príncipe alemão membro da Dinastia de Wittelsbach.

Foi Eleitor Palatino (Kurfürst von der Pfalz) (1690–1716), Duque do Palatinado-Neuburgo (1690–1716), Duque de Jülich e Berg (1679–1716), e Duque do Alto Palatinado e Cham (1707–1714). A partir de 1697 João Guilherme foi também Conde de Megen (nos Países Baixos).

Biografia[editar | editar código-fonte]

Era filho de Filipe Guilherme, Eleitor Palatino e de Isabel Amália de Hesse-Darmstadt, preferindo residir a maior parte do tempo na sua cidade natal, Dusseldorf, em vez de permanecer na capital tradicional, Heidelberga, que foi amplamente destruída pelas tropas francesas durante a Guerra dos Nove Anos. Foi educado por Jesuítas e em 1674 efectuou uma grande viagem por Itália.

Casou em 1678, com a arquiduquesa Maria Ana Josefa de Áustria, filha do imperador Fernando III e de sua mulher Leonor de Mântua. Após a sua morte em 1689, João Guilherme voltou a casar com Ana Maria Luísa de Médici, filha de Cosme III de Médici, Grão-duque da Toscana.

O pai cedera-lhe os ducados de Jülich e Berg em 1679, antes que ele lhe sucedesse também como Eleitor Palatino em 1690. Pelo Tratado de Rijswijk (1697), foi restaurado em muitas das suas possessões que lhe haviam sido tomadas pelos franceses, desde que o Protestantismo não fosse aceite no Eleitorado do Palatinado. Esta cláusula não o tornou popular no Palatinado em especial perante a população protestante. Contudo, João Guilherme proclamou a tolerância religiosa em 1705, instigado pela sua amante, Doroteia von Velen.

Durante a Guerra da Sucessão de Espanha João Guilherme recebeu o Alto Palatinado bávaro, embora tivesse que o devolver à Baviera em 1714. Morreu em Dusseldorf e foi sepultado na Igreja de Santo André.

Uma vez que não teve descendência, sucedeu-lhe o irmão mais novo, Carlos III Filipe, Eleitor Palatino.

Retrato duplo, de João Guilherme do Palatinado e da sua segunda esposa, Ana Maria Luísa de Médici

Relações familiares[editar | editar código-fonte]

Entre os seus irmãos mais conhecidos encontravam-se: Francisco Luís de Neuburgo, que veio a ser Grão-mestre da Ordem Teutónica (1694-1732), Arcebispo-Eleitor de Tréveris (1716-1729) e Arcebispo-Eleitor de Mainz (1729-1732); e Carlos Filipe de Neuburgo, que lhe haveria de suceder nos seus estados.

Também algumas das suas irmãs casaram com monarcas europeus, tornando-o cunhado do imperador Leopoldo I, do rei Pedro II de Portugal, do rei Carlos II de Espanha e do príncipe herdeiro de Parma, Eduardo Farnésio.

Coleções de Arte[editar | editar código-fonte]

João Guilherme era mais popular em Jülich-Berg, onde erigiu edifícios marcantes , como o Palácio de Bensberg, e onde tinha uma corte extravagante que empregava muitos artistas e artesãos, incluindo os pintores da corte Johannes Spilberg, a filha Adriana, e o seu viúvo Eglon van der Neer, Adriaen van der Werff, Jan Frans van Douven, Herman van der Mijn, Jan van Nickelen, a filha Jacoba Maria van Nickelen, o marido Willem Troost, Rachel Ruysch, Godfried Schalcken e Jan Weenix com a filha Maria Weenix [1].

A sua enorme coleção de pinturas de Rubens podem ainda ser vistas na Alte Pinakothek de Munique.

A sua viúva, Ana Maria Luísa, era a última descendente dos Médici. Como protetora das artes, ela legou a grande coleção dos Médicis, incluindo os conteúdos dos Uffizi, Palazzo Pitti e das villas Mediceias (que herdara em 1737 após a morte do seu irmão João Gastão de Médici), bem como os tesouros Palatinos (herdados do marido) ao Estado Toscano, na condição que nenhuma parte fosse retirada da capital, Florença. Por isso, estes tesouros podem ainda hoje ser visitados em Florença.

Homenagem[editar | editar código-fonte]

Em Dusseldorfia, a Praça Jan-Wellem foi batizada em honra de João Guilherme.

Ascendência[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]


Precedido por
Filipe Guilherme
Armoiries électeurs palatins de Neubourg.svg
Duque de Jülich e Berg

1678 - 1716
Sucedido por
Carlos III Filipe
Precedido por
Filipe Guilherme
Eleitor do Palatinado
Duque do Palatinado-Neuburgo

1690 - 1716
Sucedido por
Carlos III Filipe


Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • (em alemão) Orlop, Nikolaus - Von Garibald bis Ludwig III. - Verlag Heinrich Hugeldubel, Munique, 1979. ISBN 3-88034-032-3

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. (em alemão) Pintores da Corte que trabalharam para o Duque João Guilherme, de acordo com o sítio do museu de Dusseldorf