Elaine Fuchs

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Elaine Fuchs
Elaine Fuchs no Prêmio L'Oréal-UNESCO de 2010, em Paris
Nascimento 5 de maio de 1950 (69 anos)
Hinsdale, Illinois, Estados Unidos
Nacionalidade estadunidense
Cônjuge David Hansen
Alma mater
Prêmios
Instituições
Campo(s) Biologia

Elaine Viola Fuchs (Hinsdale, 5 de maio de 1950) é uma bióloga estadunidense. Conhecida por seu trabalho com biologia e mecanismos moleculares na pele de mamíferos e o estudo de doenças de pele, que levou à uma modernização da dermatologia em geral.

Foi pioneira em genética reversa, que avaliam primeiro a função e depois seu papel no desenvolvimento e de uma doença. Sua equipe pesquisa células-tronco e sua produção de pele e pelos. É professora Biologia Celular Mamífera da Universidade Rockefeller em Nova Iorque e pesquisadora no Instituto Médico Howard Hughes.

Em 2011 foi agraciada com o Prêmio L'Oréal-UNESCO para mulheres em ciência.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Elaine nasceu na cidade de Hinsdale, no estados norte-americano de Illinois, em 1950.[1] Cresceu no subúrbio de Chicago em uma família de cientistas. Seu pai, tia e irmã também são cientistas e a encorajaram a seguir carreira na área.[2] Seu pai era geoquímico especializado em meteoritos no Argonne National Laboratory. Sua tia, era bióloga no mesmo laboratório e feminista. Sua irmã mais velha é neurocientista. E sua mãe é dona de casa, que gosta de pintar e tocar piano.[2][3]

Elaine obteve bacharelado em química pela Universidade de Illinois em 1972 com notas altas. Em uma classe com 200 alunos, ela foi uma das três mulheres a se formar naquele ano. Durante a graduação, protestou contra a Guerra do Vietnã.[4] Obteve doutorado em bioquímica pela Universidade Princeton, onde estudou as mudanças nas paredes celulares de bactérias. Seu trabalho com a biologia da epiderme começo no pós-doutorado, trabalhando ao lado de Howard Green, no MIT.[3][4]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Elaine ingressou na Universidade de Chicago em 1980, sendo a primeira mulher do departamento de bioquímica.[5] Em sua primeira publicação falava-se da primeira clonagem e sequenciamento do cDNA da queratina, que revelou dois tipos de queratina.[6] Foi orientadora de Janet Rowley e Susan Lindquist, que posteriormente ingressaram no departamento de bioquímica e o reorganizaram para Departamento de Genética Molecular e Biologia Celular.[2] Em 2002, Elaine aceitou um convite da Universidade Rockefeller, onde hoje é a chefe do departamento de Biologia Celular Mamífera, além de ser pesquisadora do Instituto Médico Howard Hughes.[1][2]

Elaine desenvolveu sua técnica de genética reversa quando era professora assistente na Universidade de Chicago.[7] A genética reversa tenta compreender a base genética de uma doença examinando como um transgene afeta o fenótipo. Elaine aplicou a técnica pela primeira vez criando um gene que afetava a função da queratina e perturbava a estrutura das células. A inserção dessa queratina mutante em camundongos transgênicos causou forte formação de bolhas epidérmicas. A análise mostrou que essa formação de bolhas é quase idêntica à doença de pele epidermólise bolhosa simples. Em colaboração com dermatologistas para obter amostras de pele de pacientes com essa doença dermatológica revelou que uma mutação semelhante nos genes da queratina realmente está subjacente à epidermólise bolhosa simples.[8]

Condecorações selecionadas[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b «Elaine Fuchs: national medal of science». National Science and Technology Foundation. Consultado em 9 de dezembro de 2019 
  2. a b c d Fiona Watt (ed.). «Elaine Fuchs». Journal of Cell Science. Consultado em 9 de dezembro de 2019 
  3. a b Faiza Elmasry (ed.). «Cell Biologist Elaine Fuchs: Revolutionizing the Study of Skin». VOA. Consultado em 9 de dezembro de 2019 
  4. a b Ben Short (ed.). «Elaine Fuchs: A love for science that's more than skin deep». Journal of Cell Biology. Consultado em 9 de dezembro de 2019 
  5. «Elaine Fuchs». Our Scientists. Consultado em 9 de dezembro de 2019 
  6. Israel Hanukoglu e Elaine Fuchs (ed.). «The cDNA sequence of a human epidermal keratin: divergence of sequence but conservation of structure among intermediate filament proteins». Cell Journal. doi:10.1016/0092-8674(82)90424-x. Consultado em 9 de dezembro de 2019 
  7. Fuchs, E. (Junho 2012). «Elaine Fuchs». Nature Reviews Genetics. 13 (6). 381 páginas. ISSN 1471-0056. PMID 22585069. doi:10.1038/nrg3252 
  8. Uttam, J.; Hutton, E.; Coulombe, P. A.; Anton-Lamprecht, I.; Yu, Q. C.; Gedde-Dahl, T.; Fine, J. D.; Fuchs, E. (20 de agosto de 1996). «The genetic basis of epidermolysis bullosa simplex with mottled pigmentation». Proceedings of the National Academy of Sciences. 93 (17): 9079–9084. ISSN 0027-8424. PMC 38598Acessível livremente. PMID 8799157. doi:10.1073/pnas.93.17.9079 
  9. 2004 Dickson Prize Winner Elaine Fuchs, PhD bei dicksonprize.pitt.edu; abgerufen am 25. März 2011
  10. Elaine Fuchs bei nsf.gov
  11. 2011 Passano Laureate Elaine Fuchs Ph.D. bei passanofoundation.org; abgerufen am 25. März 2011
  12. Recipients of 2011 Albany Medical Center Prize in Medicine Announced bei amc.edu; abgerufen am 16. April 2011
  13. Elaine Fuchs to receive Pasarow Award Arquivado em 25 de março de 2013, no Wayback Machine. bei der Rockefeller University (rockefeller.edu); abgerufen am 21. März 2013

Ligações externas[editar | editar código-fonte]