Eliot Spitzer

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Eliot Spitzer
Eliot Spitzer
Governador de Nova Iorque
Período 1 de janeiro de 2007 até 17 de março de 2008
Antecessor(a) George Pataki
Sucessor(a) David Paterson
Dados pessoais
Nascimento 10 de junho de 1959 (62 anos)
Bronx, Nova Iorque
Primeira-dama Silda Wall
Partido Partido Democrata dos Estados Unidos da América
Profissão advogado

Eliot Laurence Spitzer (Bronx, Nova Iorque, 10 de junho de 1959) é um advogado e político do Partido Democrata.[1] Foi governador do estado de Nova Iorque de janeiro de 2007 até o dia 12 de março de 2008, quando anunciou a renúncia, marcada para o dia 17 de março.[1] Antes de ser eleito governador, Spitzer foi advogado-geral do estado de Nova Iorque.[1]

Filho do magnata do ramo imobiliário Bernard Spitzer e da professora de literatura inglesa Anne Spitzer, nasceu e cresceu no famoso bairro do Bronx. Estudou nas universidades Princeton e Harvard, onde conheceu Silda Wall, com quem viria a se casar.

Spitzer se envolveu em um escândalo sexual.[2][3] A polícia descobriu que ele fez uso dos serviços da prostituta Ashley Alexandra Dupré.[2][3] Parte do escândalo foi revelado ao FBI pela cafetina brasileira Andréia Schwartz.[2][3]

Referências

  1. a b c «Eliot Spitzer Biography». Biography.com. Arquivado do original em 20 de novembro de 2012 
  2. a b c «A farsa da cafetina». Istoé. 2 de abril de 2008. Consultado em 23 de março de 2020 
  3. a b c «Brasileira ligada à queda de governador de NY nega elo com prostituição». G1. 30 de março de 2008. Consultado em 23 de março de 2020 
Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Wikinotícias Notícias no Wikinotícias