William H. Seward

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
William H. Seward
24º Secretário de Estado dos Estados Unidos
Período 5 de março de 1861
a 4 de março de 1869
Presidentes Abraham Lincoln (1861–1865)
Andrew Johnson (1865–1869)
Antecessor(a) Jeremiah S. Black
Sucessor(a) Elihu B. Washburne
Senador por Nova Iorque
Período 4 de março de 1849
a 3 de março de 1861
Antecessor(a) John A. Dix
Sucessor(a) Ira Harris
12º governador de Nova Iorque
Período 1 de janeiro de 1839
a 31 de dezembro de 1842
Vice-governador Luther Bradish
Antecessor(a) William L. Marcy
Sucessor(a) William C. Bouck
Dados pessoais
Nome completo William Henry Seward
Nascimento 16 de maio de 1801
Flórida, Nova Iorque,
Estados Unidos
Morte 10 de outubro de 1872 (71 anos)
Auburn, Nova Iorque,
Estados Unidos
Progenitores Mãe: Mary Jennings Seward
Pai: Samuel Sweezy Seward
Alma mater Union College
Esposa Frances Miller (1824–1865)
Filhos 6
Partido Republicano (1855–1872)
Whig (1848–1855)
Religião Episcopal
Profissão Advogado
Assinatura Assinatura de William H. Seward

William Henry Seward (Flórida, 16 de maio de 1801Auburn, 10 de outubro de 1872) foi um político norte-americano, o 12º governador de Nova Iorque, Senador dos Estados Unidos e Secretário de Estado dos Estados Unidos durante as administrações de Abraham Lincoln e Andrew Johnson.[1]

Vida[editar | editar código-fonte]

Um grande opositor da escravidão nos anos que precederam a Guerra de Secessão, Seward foi uma das principais figuras dos primeiros anos do Partido Republicano. Ele foi reeleito para o Senado em 1855 e logo se juntou ao nascente Partido Republicano. Com a aproximação da eleição presidencial de 1860, ele foi considerado o principal candidato à indicação republicana. Vários fatores, incluindo atitudes em relação à sua oposição vocal à escravidão, seu apoio aos imigrantes e católicos, e sua associação com o editor e chefe político Thurlow Weed trabalhou contra ele e Abraham Lincoln garantiu a nomeação presidencial. Embora arrasado com a derrota, ele fez campanha para Lincoln, que o nomeou Secretário de Estado após vencer a eleição. Ele tornou-se um dos membros mais leais do gabinete de Lincoln.

Seward fez o possível para impedir que os estados do sul se separassem; uma vez que isso falhou, ele se dedicou de todo o coração à causa da União. Sua posição firme contra a intervenção estrangeira na Guerra Civil ajudou a dissuadir o Reino Unido e a França de reconhecer a independência dos Estados Confederados. Ele foi um dos alvos do plano de assassinato de 1865 que matou Lincoln e foi gravemente ferido pelo conspirador Lewis Powell. Seward permaneceu em seu posto durante a presidência de Andrew Johnson, durante a qual negociou a Compra do Alasca em 1867 e apoiou Johnson durante seu impeachment. Seu contemporâneo Carl Schurz descreveu Seward como "um daqueles espíritos que às vezes vai à frente da opinião pública em vez de seguir docilmente suas pegadas".[2][3]

Referências

  1. Hendrick, Burton (1946). Lincoln's War Cabinet. Boston: Little, Brown 
  2. Bancroft, Frederic (1900). The Life of William H. Seward. 2. [S.l.: s.n.] 
  3. Goodwin, Doris Kearns (2005). Team of Rivals: The Political Genius of Abraham Lincoln. New York: Simon & Schuster. ISBN 978-0-684-82490-1

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre William H. Seward
Ícone de esboço Este artigo sobre um político do estado de Nova Iorque é um esboço relacionado ao Projeto Biografias de Políticos. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.