Madeleine Albright

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Madeleine Albright
Madeleine Albright
64ª Secretária de Estado dos Estados Unidos
Período 23 de janeiro de 1997
a 20 de janeiro de 2001
Presidente Bill Clinton
Antecessor(a) Warren Christopher
Sucessor(a) Colin Powell
Dados pessoais
Nascimento 15 de maio de 1937 (80 anos)
Praga, República Checa
Partido Democrata
Profissão Diplomata, Estadista, Professora

Madeleine Korbel Albright, nascida como Marie Jana Korbel (Praga, 15 de maio de 1937), é uma política americana nomeada como 64ª Secretária de Estado dos Estados Unidos, tendo sido a primeira mulher no cargo. Foi nomeada pelo presidente Bill Clinton em 5 de dezembro de 1996 e confirmada por unanimidade pelo Senado dos Estados Unidos por 99-0. Prestou juramento em 23 de Janeiro de 1997. Hoje é professora na universidade de Georgetown.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filha de Josef Korbel, um diplomata tcheco, fugiu com a sua família do país depois da ocupação nazi em 1939, encaminhando-se para Londres, onde viveu com uma das avós. Durante grande parte da sua vida acreditou que a sua família fugira por motivos políticos, mas em 1997 conheceu a verdadeira razão: a sua família era judaica, tendo mesmo três de seus avós falecido em campos de concentração nazis.

Depois da Segunda Guerra Mundial, a família regressou à Checoslováquia, mas acabou por se refugiar novamente devido ao domínio Soviético do país e ao regime socialista instalado em Praga. Assim, em 1948, começava a aventura norte-americana da família Korbel e, particularmente, de Marie Jana.

Adaptando-se com facilidade à vida americana, em parte devido à experiência inglesa durante a guerra, Marie Jana fez os seus estudos nos EUA e licenciou-se no Wellesley College (Massachussets), no ano de 1959. Nesse ano desposou Joseph Albright, membro da família dos editores e proprietários das publicações Medill.

Depois de concluir em 1968 um Mestrado com uma tese intitulada The Soviet Diplomatic Service: Profile of an Elite (publicada em 1968), na Columbia University, Nova Iorque, trabalhou como angariadora de fundos na campanha presidencial derrotada do senador Edmund Muskie, em 1972. Mais tarde trabalhou como assessora-chefe de Muskie. Em 1976, doutorou-se, novamente na Columbia University, defendendo uma tese sobre The Role of the Pressin Political Change: Czechoslovakia 1968 (publicada em 1976). Neste mesmo ano, fez parte da equipa de trabalho de Zbigniew Brzezinski, conselheiro de segurança nacional do presidente Jimmy Carter.

Ao longo das administrações republicanas de Ronald Reagan e de George Bush, na década de 1980 e meados da década de 1990, Madeleine Albright trabalhou em diversas organizações não governamentais sem fins lucrativos (como o Center for National Policy). A sua residência em Washington D.C. converteu-se, nessa época, num autêntico centro de discussão e reunião de influentes políticos e opinion makers do Partido Democrata.

Foi também professora de Relações Internacionais na Universidade de Georgetown, na cidade de Washington, entre 1982 e 1993. Ela foi uma das pessoas que apoiaram o acordo nuclear com o Irã em 2015.[1]

O Governo Clinton[editar | editar código-fonte]

No entanto, a sua chama política só começou a despontar depois da eleição presidencial do democrata Bill Clinton, em 1992. Clinton nomeia-a então embaixadora dos EUA junto das Nações Unidas, no ano de 1993. Neste fórum internacional rapidamente ficou conhecida pela sua firme determinação como feroz defensora dos interesses norte-americanos, promovendo uma crescente importância dos Estados Unidos nas operações da ONU, principalmente no que concerne aos seus aspectos militares. Foi também, durante o seu primeiro mandato, membro do Conselho de Segurança Nacional da presidência de Clinton. Em 1997 foi nomeada para Secretária de Estado dos EUA; no segundo mandato da Administração Clinton, tendo sido unanimemente confirmada pelo Senado norte-americano. É o mais alto cargo governamental atingido por uma mulher na história dos EUA, sendo também a primeira a tornar-se Secretária de Estado, cargo que ocupou até 2001.

Apesar de ter sido autora da criação de políticas e instituições com o objectivo de conduzir o mundo à paz e à prosperidade, quer na ONU quer como Secretária de Estado, não se lhe pode deixar de imputar responsabilidades na construção da liderança norte-americana no planeta e das suas prerrogativas de intervenção em assuntos internacionais, isoladamente ou à frente de alianças internacionais (como no Kosovo, em 1999).

Os seus esforços têm-se centrado na estabilização da Europa Central e Oriental (em parte devido à sua facilidade de comunicação em várias línguas da região, como o checo, o russo ou o polaco), bem como no Médio Oriente.

De facto, Madeleine Albright, a mulher dos célebres alfinetes "de dama", desenvolveu desde 1997 uma incansável política de afirmação do papel do estado americano como árbitro e "polícia" das nações, bem como da sua área de influência geoestratégica e militar no mundo, baluartes do pujante e agressivo desenvolvimento econômico registado por Washington nos últimos anos. Mãe de três filhas, Madeleine Albright encarna também a importância das mulheres em áreas e altos cargos de estado tradicionalmente masculinos, tornando-se um símbolo da empreendedora mulher americana e um estímulo para as mulheres do mundo inteiro.


Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Madeleine Albright
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
  1. Statement by 60 National Security Leaders on the Announcement of a Joint Comprehensive Plan of Action