Esaias Tegnér

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Esaias Tegnér
Nascimento 13 de novembro de 1782
Säffle
Morte 2 de novembro de 1846 (63 anos)
Växjö
Cidadania Suécia
Etnia Suecos
Alma mater Universidade de Lund
Ocupação poeta, sacerdote, escritor, professor universitário
Empregador Universidade de Lund
Causa da morte acidente vascular cerebral

Esaias Tegnér (Kyrkerud, 13 de novembro de 1782Växjö, 2 de novembro de 1846) foi um poeta sueco.
Foi membro da Academia Sueca (1818-1846), bispo de Växjö e professor de Grego na Universidade de Lund. [1][2][3]

Foi enormemente apreciado na sua época, após a publicação do poema Frithiofs saga em 1825.[4]

No final da sua vida, Tegnér foi enviado para um hospital psiquiátrico em Schleswig e, no início de 1841, foi-lhe dada alta, tendo regressado a Växjö. Durante a sua convalescença em Schleswig compôs Kronbruden. Não escreveu nada mais de importância e, em 1843, sofreu um acidente vascular cerebral, tendo falecido em 2 de novembro de 1846 em Växjö.

Poemas[editar | editar código-fonte]

Estátua de Tegnér, perto da catedral de Lund.

A maior parte dos poemas de Tegnér da sua época em Lund são pequenos textos, e alguns em lírica. A sua celebrada Canção ao sol data de 1817. Completou três poemas de carácter mais ambicioso, aos quais deve a sua fama. Destes, o romance de Axel (1822) e o idílio de Nattvardsbarnen ("A primeira comunhão", 1820) tomam um papel secundário em comparação com a obra prima de Tegnér de fama mundial.

Em 1819 tornou-se membro da distinta Academia Sueca.

Em 1820 publicou em Iduna fragmentos de um poema épico no qual trabalhava: Frithiofs saga (A história de Frithiof). Em 1822, publicou cinco cantos mais e, em 1825, o poema inteiro. Antes desta publicação, era famoso em toda a Europa. Johann Wolfgang von Goethe sugeriu a Amalie von Imhoof que traduzisse a sua obra para alemão. Esta paráfrase romântica de uma saga antiga foi composta em 24 cantos, todos distintos na forma de versos, sobre a base de uma obra prima dinamarquesa anterior, a Helga de Oehlenschläger.

Durante o século XIX, a saga de Frithjof foi a mais conhecida de todas as produções literárias suecas e foi traduzida 22 vezes para inglês, 20 vezes em alemão e, pelo menos, uma vez para cada uma das principais línguas eruropeias.

Tegnér começou, mas deixou inacabados, dois épicos adicionais: Gerda e Kronbruden.

Lorbeerkranz.png Academia Sueca[editar | editar código-fonte]

Esaias Tegnér ocupou a cadeira 8 da Academia Sueca, para a qual foi eleito em 1818.

Obras selecionadas[editar | editar código-fonte]

  • Frithiofs saga (1825)

Referências

  1. Ernby, Birgitta; Martin Gellerstam, Sven-Göran Malmgren, Per Axelsson, Thomas Fehrm (2001). «Esaias Tegnér». Norstedts första svenska ordbok (em sueco). Estocolmo: Norstedts ordbok. p. 671. 793 páginas. ISBN 91-7227-186-8 
  2. Linnell, Björn (1999). «Romantiken». Litteraturhandboken (em sueco). Estocolmo: Forum. p. 302. 848 páginas. ISBN 91-37-11226-0 
  3. Linnell, Björn (1999). «Esaias Tegnér». Litteraturhandboken (em sueco). Estocolmo: Forum. p. 761. 848 páginas. ISBN 91-37-11226-0 
  4. Magnusson, Thomas; et al. (2004). «Esaias Tegnér». Vad varje svensk bör veta (em sueco). Estocolmo: Albert Bonniers Förlag e Publisher Produktion AB. p. 361. 654 páginas. ISBN 91-0-010680-1 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Esaias Tegnér
Wiki letter w.svg Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.