Esperantujo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Esperantujo
Esperanto flag
Tópico sobre Esperanto
Esse artigo faz parte da série em desenvolvimento Esperanto
Gramática
Esperanto | Gramática | Alfabeto | Ortografia | Vocabulário | Correlativos | Preposições | Advérbios | Conjunções | Afixos | Pronomes | Signuno
História
História | Zamenhof | "Unua Libro" | Declaração de Boulogne | "Fundamento" | Manifesto de Praga | Discursos de Zamenhof
Cultura
Cultura | Esperantistas | Esperantujo | Cinema | Internacia Televido | La Espero | Bibliotecas | Literatura | Música | Falantes nativos | Cultura pop | Publicações | Símbolos | Dia de Zamenhof| Internacia Junulara Kongreso
Organizações e serviços
Amikeca Reto | Academia de Esperanto | Kurso de Esperanto | Pasporta Servo | TEJO | UEA
Críticas
Esperantido | Valor propedêutico | Reformas | Iĉismo | Esperanto X Ido | Interlingua | Novial
Wikimedia
Portal | Vikipedio | Vikivortaro | Vikicitaro | Vikifonto | Vikilibroj | Vikikomunejo | Vikispecoj
editar

Esperantujo (AFI[espeɾan'tujo], "esperantúio") ou Esperântia ("país do Esperanto") é um termo em Esperanto utilizado por seus falantes para designar a comunidade que fala esta língua, bem como as atividades desenvolvidas pela própria comunidade no âmbito da língua internacional.[1] De maneira mais ampla, quando duas pessoas conversam em Esperanto, elas dizem estar "em Esperantujo",[2] e sendo assim o termo pode se referir a qualquer lugar em que dois ou mais falantes de Esperanto se reúnam.[3] Apesar de não possuir uma representação geográfica, pode compreender 120 países do mundo, onde ocorrem encontros regulares ou existam clubes.[4]

O termo Esperantujo remonta à ideia de povo dentro do movimento esperantista, algumas vezes articulada em um conceito de super-Estado, o que envolveu o desenvolvimento de outras ideias, tais como a unidade monetária própria, um sistema bancário e colônias esperantistas. Algumas crianças cresceram com o Esperanto como sua primeira língua.[5]

Esperantujo é tipo pelos esperantistas como um local simbólico de harmonia.[6]

Etimologia[editar | editar código-fonte]

O sufixo ujo foi usado, desde a criação da língua, com três significados:

  • país em relação ao seu povo - Franco (Francês), Francujo (França); Hispano (Espanhol), Hispanujo (Espanha); Italo (Italiano), Italujo (Itália);
  • árvore em relação ao fruto - piro (pera), pirujo (pereira); ĉerizo (cereja), ĉerizujo (cerejeira); pomo (maçã), pomujo (macieira);
  • recipiente total - supo (sopa), supujo (sopeira), sukero (açúcar), sukerujo (açucareiro), salo (sal), salujo (saleiro).

Entretanto, os dois primeiros caíram em desuso e atualmente só o terceiro significado permanece. Árvores recebem a terminação arbo (pirarbo, ĉerizarbo, pomarbo); e países recebem o sufixo io (Francio, Hispanio, Italio).

A junção do radical Esperant- com o sufixo -ujo concede então ao termo Esperantujo a conotação de "terra do Esperanto" ou "país do Esperanto".

História[editar | editar código-fonte]

Ver também: Moresnet

Geografia[editar | editar código-fonte]

Mapa que indica onde há anfitriões do Pasporta Servo (2015)

Esperantujo.directory

Demografia[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Falantes nativos do esperanto

Política[editar | editar código-fonte]

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

Educação[editar | editar código-fonte]

Mídia e comunicações[editar | editar código-fonte]

Ver também: Kontakto e Monato

Cultura[editar | editar código-fonte]

Internacia Junulara Kongreso, 2015

Literatura[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Literatura em esperanto

Música[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Música em esperanto

Congressos[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Kolker, Boris. «Lando, kiu ne estas sur la mapo». Lernolibro (em esperanto). esperanto.mv.ru. Consultado em 14 de janeiro de 2011. 
  2. Brewer, Steven. «Poŝtmarkoj el Esperantujo» (em esperanto). Libroj Bierfaristaj. Consultado em 15 de janeiro de 2011. 
  3. Burton 2014, p. 103
  4. UEA. «“Kio estas UEA?”» (em esperanto). UEA. Consultado em 7 de fevereiro de 2016. 
  5. Forster 1982, p. 351
  6. Schubert, p. 183

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Forster, Peter G (1982). The Esperanto Movement. Contributions to the Sociology of Language (CSL) (em inglês) ilust. reimp. ed. (The Hague: Mouton de Gruyter). p. 427. ISBN 90-279-3399-5. 
  • Schubert, Klaus (1989). Interlinguistics: Aspects of the Science of Planned Languages (em inglês) (Berlim; Nova Iorque: Mouton de Gruyter). ISBN 3-11-011910-2. 
  • Burton, Charlotte (2014). Beginning Esperanto Workbook (em inglês) Lulu.com [S.l.] p. 214. ISBN 978-1-312-28519-4. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre Esperanto é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.