Estátua do Borba Gato

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Monumento de Borba Gato
Autor Júlio Guerra
Data 27 de janeiro de 1957 (64 anos)
Género Escultura
Técnica Argamassa, pedras, mármore
Altura 10 metros
(13 metros com o pedestal) 
Localização Santo Amaro, São Paulo

A Estátua do Borba Gato é um monumento em homenagem ao bandeirante Borba Gato. Localiza-se na Praça Augusto Tortorelo de Araújo na cidade de São Paulo, distrito de Santo Amaro. A obra é composta por argamassa, trilhos e pedras, revestida de pedras coloridas de basalto e mármore.

História[editar | editar código-fonte]

O Monumento de Borba Gato foi projetado e começou a ser construído em 1957, no próprio quintal de Júlio Guerra, que situava-se na Avenida João Dias. A estátua foi planejada para ser inaugurada em 1960, data em que Santo Amaro celebraria seu IV Centenário. Porém, em 1958, a morte de um de seus filhos, Jairo, afogado, iria fazer com que a obra atrasasse um pouco.[1]

Construção[editar | editar código-fonte]

A obra conta com 10 metros de altura (13 metros contando seu pedestal) e pesa 20 toneladas. Em seu interior há um trilho de bonde, para sustentar sua estrutura. Após preparar os moldes em gesso, Júlio Guerra começou a estruturar seu gigante com argamassa, trilhos e pedras, revestindo de pedras coloridas de basalto e mármore vindas de diversos cantos do país, os mármores do rosto especificamente, vieram de Portugal. O escultor, que não optou pelo bronze, material comumente para estátuas e monumentos, precisou arrumar uma solução criativa para a estrutura de sua obra. Como o Borba Gato é grande e os trilhos de bonde eram recorrentes na região, já que o modal começava a ser deixado de lado, Guerra decidiu que aquele material seria o ideal para sustentar sua obra.[2][3]

Controvérsias[editar | editar código-fonte]

Já vandalizado algumas vezes,[4][5][6] o monumento é considerado um dos mais polêmicos de São Paulo e divide opiniões entre a população, atraindo elogios e críticas. Para alguns, o monumento marca um período de extrema violência dos bandeirantes aos povos indígenas do Brasil, e consideram um erro o explorador ser homenageado e ser visto como um "herói". Para outros, o monumento tem valor artístico histórico e cultural pois representa a exploração e formação de São Paulo, até do Brasil.

Referências

  1. «Monumento de Borba Gato - São Paulo Antiga». São Paulo Antiga. 27 de janeiro de 2013. Consultado em 4 de março de 2019 
  2. Nascimento, Douglas (27 de janeiro de 2013). «Monumento de Borba Gato - São Paulo Antiga». São Paulo Antiga. Consultado em 4 de março de 2019 
  3. «A Estátua De Santo Amaro – O Borba Gato». São Paulo In Foco. 3 de março de 2017. Consultado em 4 de março de 2019 
  4. «Estátua do Borba Gato e Monumento às Bandeiras são 'pichados' em SP - 30/09/2016 - Cotidiano». Folha de S.Paulo. Consultado em 18 de janeiro de 2020 
  5. «Estátua do Borba Gato é pichada por manifestantes». VEJA SÃO PAULO. Consultado em 18 de janeiro de 2020 
  6. Oliveira, Regiane (4 de setembro de 2017). «Por que nos importamos com símbolos escravagistas dos EUA e ignoramos os do Brasil?». EL PAÍS. Consultado em 18 de janeiro de 2020