Evolução dos insetos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O estudo da evolução dos insetos, abarcado em partes pela paleoentomologia, dedica-se à análise do processo evolutivo pelo qual os insetos passaram ao longo de sua existência no planeta Terra.

Com base nos dados de sequenciação do genoma, estima-se que os insetos tenham surgido na Terra, cerca de 480 milhões de anos atrás, no Ordoviciano, mais ou menos ao mesmo tempo das plantas terrestres,[1] onde evoluíram a partir de um grupo de crustáceos.[2] Eles foram os primeiros animais a desenvolver voo, cerca de 400 milhões de anos atrás no Devoniano.[1] O Rhyniognatha hirsti é o mais antigo fóssil de inseto, estima-se entre 407 à 396 milhoes de anos. As condições climáticas globais mudaram várias vezes durante a história da Terra, e junto com ele a diversidade de insetos. Os pterigotos (insetos alados) passou por uma grande rdiação no Carbonífero (356 à 299 milhoes de anos atrá), enquanto que os endopterigotos (insetos que possuem metamorfose completa) foram submetidos à outra radiação maior no Permiano (299 à 252 milhões de anos atrás).

A maioria das ordens extante de insetos foram desenvolvidas durante o Permiano. Muitos dos primeiros grupos tornaram-se extintos durante a extinção do Permiano-Triássico, o maior evento de extinção da história da Terra, cerca de 252 milhões de anos atrás.[3] Os sobreviventes deste evento evoluíram no Triássico (252 à 201 milhões de anos atrás), para o que são, essencialmente, as ordens de insetos extantes. A maioria das famílias extantes apareceu no Jurássico (201 à 145 milhões de anos atrás).

Em um importante exemplo de coevolução, uma série de grupos de insetos - especialmente os himenópteros e lepidópteros, bem como muitos tipos de dípteros e coleópteros - evoluiu em conjunto com as angiospermas durante o Cretáceo (145 à 66 milhões de anos atrás).[4]

Muitos gêneros extantes desenvolveram-se durante o Cenozóico que começou há cerca de 65 milhões de anos; insetos deste período em diante estão preservados em âmbar, muitas vezes em condições perfeitas. Esses espécimes são facilmente comparados com espécies modernas, e a maioria deles são membros de gêneros existentes.

Referências

  1. a b "Landmark study on the evolution of insects". ScienceDaily. 
  2. "Where did insects come from? New study establishes relationships among all arthropods". ScienceDaily. 
  3. Rasnitsyn, A.P.; Quicke, D.L.J. (2002). History of Insects. Kluwer Academic Publishers
  4. J. Stein Carter (29 de março de 2005). Coevolution and Pollination. University of Cincinnati


Ícone de esboço Este artigo sobre insetos, integrado no Projeto Artrópodes é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.