Republic F-105

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de F-105 Thunderchief)
Ir para: navegação, pesquisa
Searchtool.svg
Esta página foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa. Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo.
F-105 Thunderchief
Picto infobox Mig 29.png
Descrição
Tipo / Missão Caça-bombardeiro
País de origem  Estados Unidos
Fabricante Republic Aviation Company
Período de produção 1955–1964
Quantidade produzida 833 unidade(s)
Custo unitário US$ 2,14 milhões (F-105D, em dólares de 1960)
Primeiro voo em 22 de outubro de 1955
Introduzido em 27 de maio de 1958
Aposentado em 25 de fevereiro de 1984
Tripulação 1 ou 2
Especificações
Dimensões
Comprimento 19,63 m (64,4 ft)
Envergadura 10,65 m (34,9 ft)
Altura 5,99 m (19,7 ft)
Área das asas 35,76  (385 ft²)
Alongamento 3.2
Peso(s)
Peso vazio 12 470 kg (27 500 lb)
Peso carregado 16 165 kg (35 600 lb)
Peso máx. de decolagem 23 834 kg (52 500 lb)
Propulsão
Motor(es) 1 × Pratt & Whitney J75
Performance
Velocidade máxima 2 208 km/h (1 190 kn)
Teto máximo 14 800 m (48 600 ft)
Razão de subida 195 m/s

F-105 Thunderchief foi um caça-bombardeiro supersônico usado pelos Estados Unidos na Guerra do Vietnã.[1] O jato de combate, capaz de alcançar velocidade Mach 2,[1] foi utilizado principalmente para bombardeios do Vietnã do Norte nos primeiros anos da guerra.

Desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

Na época em que o F-84F estava entrando em serviço, a Republic, que havia conseguido grande reputação com os seus P-47 thunderbolt e F-84E Thunderjet, já começava a estudar o seu substituto. Esta aeronave teria por missão básica o ataque nuclear e convencional tático em quaisquer condições meteorológicas, de dia ou de noite, e também um grande raio de ação e alta velocidade.foram contratados 2 protótipos em 1954, com o 1º voo previsto para meados de 1955, mas devido a uma motorização medíocre estes protótipos não foram concluídos; Logo depois, já com a motorização do J-75, conclui-se os protótipos YF-105B,que entraria em serviço em 1958, ou seja, com mais de 3 anos de atraso; Apesar de nãos serem bipostos, o F-105B deu lugar já em 1960 ao F-105D, que tinha entre outras melhorias, o mais potente motor J75-19W, de 11,113kg, contra os originais 10,660kg, o novíssimo radar NASARR mono pulso e sistema Doppler, de navegação sobre o terreno. Foi com este modelo que os pilotos americanos entraram na guerra do Vietnã; Era popularmente chamado de 'Thud' por seus tripulantes e mecânicos. Foi adaptado para carregar mais poder de fogo em bombas comuns que os bombardeiros B-17 e B-29 da Segunda Guerra Mundial e foi a aeronave de combate mais usada para os bombardeios sobre o Vietnã nas primeiras fases da guerra. Durante a guerra, 386 deles foram derrubados ou avariados, de um total de 833 produzidos, com a morte de 62 tripulantes, e apesar de ter menos maleabilidade e agilidade que os pequenos MiG de interceptação dos norte-vietnamitas, o avião demonstrou o poder de fogo de seus canhões na guerra aérea, abatendo 27 aviões inimigos.

Operações[editar | editar código-fonte]

Durante a Guerra do Vietnã, o F-105F, que eram uma encomenda especial da USAF feita em 1962 de 143 aeronaves novas biplaces se mostrou o mais eficiente avião norte-americano no combate a defesas antiaéreas, sendo o responsável por combater diretamente as plataformas de mísseis antiaéreos dos norte-vietnamitas, enquanto os demais bombardeiros realizavam suas missões tentando evitar artilharia antiaérea. Eram os primeiros a entrar sobre a área alvo inimiga e os últimos a saírem. Podiam levar os míssesi AGM-45 Shrike, que eram muito problemáticos, pois bastavam os norte-vietnamitas desligarem os radares para os mísseis "esquecerem" da sua posição e errarem o alvo. Devido a isto, a maioria dos ataque foi realizado com bombas de 454kg e 943kg, desta forma, eliminado totalmente o alvo, já que o AGM-45 só destruia a antena. Podia também levar o AGM-12 Bullpup, mas a aeronave precisava "iluminar" todo o tempo a direção do míssil, o que o tornava muito vulnerável. Apesar de seu peso de 23,874kg, a aeronave podia voar à velocidade do som ao nível do mar e em Mach 2, o dobro, em grande altitude, levando 6.700kg de bombas e mísseis. Nos últimos anos da guerra, o F-105G, a versão mais completa para combate as baterias de misseis SAM, equipada com contramedidas passivas e ativas de alerta e ataque a radares. mas com capacidade de ataque convencional, foi substituído pelas versões do F-4 Phantom II e pelo F-111, mas permaneceu em serviço na frota área norte-americana até 1984.

Referências

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Hobson, Chris. Vietnam Air Losses, USAF, USN, USMC, Fixed-Wing Aircraft Losses in Southeast Asia 1961–1973. North Branch, Minnesota: Specialty Press, 2001. ISBN 1-85780-1156.
  • Kinzey, Bert. F-105 Thunderchief. Fallbrook, California: Aero Publishers Inc., 1982. ISBN 0-8168-5020-8.
  • Neubeck, Ken. F-105 Thunderchief In Action. Carrollton, Texas: Squadron/Signal Publications, 2002. ISBN 0-89747-447-3.
  • Neubeck, Ken. "F-105 Thunderchief Walk Around". Carrollton, Texas: Squadron/Signal Publications, 2000. ISBN 0-89747-418-X.
  • Richardson, Doug. Republic F-105 Thunderchief (Classic Warplanes). New York: Smithmark Publishers Inc., 1992. ISBN 0-8317-1410-7.
  • Armas de guerra, Vol 5, Abril Coleções, Brasil,2010. ISBN 978-85-7971-141-1