Federação das Indústrias do Estado de Goiás

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes fiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde novembro de 2017). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

A Federação das Indústrias do Estado de Goiás (FIEG) é a entidade de representação das indústrias do estado de Goiás. Sedia-se na cidade de Goiânia.

O Sistema FIEG é composto pelo SESI, SENAI, IEL e sindicatos patronais da indústria de Goiáis. Seu presidente em 2017 é Pedro Alves.[1]

Histórico[editar | editar código-fonte]

Fundada em 16 de dezembro de 1950 por cinco sindicatos, a Federação das Indústrias do Estado de Goiás foi instalada, oficialmente, em 1 de maio de 1952. Com a criação da FIEG, logo também se instalaram os departamentos regionais do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) e do Serviço Social da Indústria (SESI).

Seu primeiro presidente foi Antônio Ferreira Pacheco o qual manteve-se no cargo até 1967, quando faleceu e teve como substituto legal o vice-presidente José Aquino Porto. Por 33 anos, José Aquino Porto presidiu a FIEG, reeleito em mandatos sucessivos.

Em 2017, já sob a presidência de Pedro Alves de Oliveira, a FIESP lançou, em parceria com a PUC-GO, Projeto Aprimore, com o objetivo de investir na formação do jovem profissional.[2] No mesmo ano a federação promoveu o 5º Encontro Internacional de Comércio Exterior (EICE).[3]


Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. paranacooperativo.coop.br (23 Novembro 2017). «SISTEMA OCB-GO: Novo prédio da entidade dará mais visibilidade às cooperativas». Consultado em 28 de novembro de 2017 
  2. Yana Maia (30 de outubro de 2017). «Fieg e PUC lançam projeto para área da construção civil em Goiás.Objetivo é investir na formação do jovem profissional». Consultado em 28 de novembro de 2017 
  3. Larissa Artiaga (07 Novembro 2017). «Editor da revista Istoé DINHEIRO avalia que reforma da previdência é imprescindível». Consultado em 28 de novembro de 2017  Verifique data em: |data= (ajuda)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]