Fernando IV da Toscana

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Fernando IV de Toscana
Grão-Duque da Toscana
Arquiduque da Áustria
Ferdinando IV di Toscana.png
Chefe Grão-Duque da Toscana
Reinado 21 de julho de 1859 - 22 de março de 1860
Antecessor(a) Leopoldo II
Sucessor(a) Monarquia abolida
 
Nascimento 10 de junho de 1835
  Florença, Flag of the Grand Duchy of Tuscany (1840).svgToscana
Morte 17 de janeiro de 1908 (72 anos)
  Salzburgo, Flag of Austria-Hungary (1869-1918).svg Áustria-Hungria
Cônjuge Ana Maria da Saxônia (1856-1859)
Alice de Bourbon-Parma (1868-1908)
Casa Habsburgo-Lorena
Pai Leopoldo II, Grão-Duque da Toscana
Mãe Maria Antónia das Duas Sicílias
Filho(s) Maria Antônia
Leopoldo Fernando
Luísa
José Fernando
Pedro Fernando
Henrique Fernando
Ana Maria
Margarida Maria
Germana Maria
Roberto Fernando
Agnes Maria
Brasão

Fernando Salvador Maria José João Batista Francisco Luís Gonzaga Rafael Rainiero Januário de Habsburgo-Lorena (em italiano Ferdinando Salvatore Maria Giuseppe Giovanni Battista Francesco Luiggi Gonzaga Raffaello Rainiero Gennaro d'Asburgo-Lorena; em alemão Ferdinand Salvator Maria Joseph Johann Baptist Franz Ludwig Gonzaga Raphael Rainer Januarius von Habsburg-Lothringen) (Florença, 10 de junho de 1835 - Salzburgo, 17 de janeiro de 1908), foi Arquiduque da Áustria e o último Grão-Duque da Toscana.[1][2][3]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filho de Leopoldo II e de Maria Antonia de Bourbon-Duas Sicílias, Fernando foi proclamado Grão-duque em 1859, após a abdicação de seu pai.[1][2][3] Nunca foi coroado nem voltou a viver em Florença pois, em 1860, a Toscana foi anexada ao novo Reino de Itália. Apesar da extinção do grão-ducado, Fernando IV manteve o "fons honorum" e todas as ordens dinásticas da antiga nação, concedendo títulos e condecorações após 1860.

Após o referendo que sancionou a anexação da Toscana, Fernando foi apelidado de "Rei de Castiglion Fibocchi" porque, neste pequeno povoado da província de Arezzo foi registrada a maior porcentagem de rejeição à união com o "reino dos Saboya".

Disderi, Adolphe Eugène (1810-1890) - Asburgo-Lorena, Ferdinando IV di, granduca di Toscana (1835-1908).jpg

Entre 1859 e 1866 personalidades toscanas como Eugenio Alberi, organizaram um partido de cunho legitimista-autonomista com o objetivo de defender os direitos dinásticos de Fernando IV e de promover uma reforma federalista no Estado italiano recém formado. Chegaram, inclusive, a criar um jornal (o "Firenze") para propagar as idéias do partido.

Casamento e filhos[editar | editar código-fonte]

Fernando casou-se em 1856 com a princesa Ana Maria da Saxônia, filha do rei João I e da princesa Amélia Augusta da Baviera, com quem teve uma filha:

  • Maria Antônia (1858-1883), de saúde delicada, renunciou aos seus bens e títulos para ingressar na vida religiosa na cidade de Praga, onde chegou a ser abadessa. Morreu de tuberculose aos vinte e cinco anos de idade.

A princesa Ana Maria morreu em 1859, vitimada pela febre tifóide, meses antes de seu marido ser proclamado Grão-duque. Em 1868 Fernando IV casou-se em segundas núpcias com a princesa Alice de Bourbon-Parma, filha de Carlos III de Parma e de Luísa Maria de França. O casal teve dez filhos:

  • Leopoldo Fernando (1868-1953), excluído da linha de sucessão devido aos seus problemas com o alcoolismo e à sua conturbada vida amorosa;
  • José Fernando (1872-1942), tornou-se chefe da Casa da Toscana com a exclusão de seu irmão Leopoldo da linha sucessória. Renunciou aos seus títulos para casar-se morganaticamente;
  • Pedro Fernando (1874-1948), casou-se com Maria Cristina de Bourbon-Duas Sicílias. Tornou-se chefe da Casa da Toscana após a renúncia de seu irmão José;
  • Henrique Fernando (1878-1969)
  • Ana Maria (1879-1961)
  • Margarida Maria (1881)
  • Germana Maria (1884-1955)
  • Roberto Fernando (1885-1995)
  • Agnes Maria (1891-1945)

Morte[editar | editar código-fonte]

Fernando IV morreu no exílio, em Salzburgo, em 1908. Foi sepultado na Cripta Imperial de Viena.

Precedido por
Leopoldo II
Grão-Duque da Toscana
1859 - 1860
Armoiries Léopold II Habsbourg Lorraine.svg
Sucedido por
integração no Reino de Itália
Precedido por
-
Grão-Duque TITULAR da Toscana
1860 - 1908
Sucedido por
Arquiduque José Fernando de Habsburgo

Notas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Florence and Tuscany. A complete guide with itineraries (em inglês). Roma: ATS Italia Editrice. 2011. p. 7. ISBN 9788865244005 
  2. a b Ewald, Alexander Charles (1868). The Last Century of Universal History: A Reference Book, Containing an Annotated Table of Chronology, Lists of Contemporary Sovereigns, a Dictionary of Battles and Sieges, and Biographical Notes of Eminent In-dividuals. From 1767 to 1867 (em inglês). Londres: F. Warne & Company. p. 153 
  3. a b Raineval, Melville Henry Massue marquis de Ruvigny et; Raineval, Melville Henry Massue Marquis of Ruvigny and (1914). The Titled Nobility of Europe: An International Peerage, Or "Who's Who," of the Sovereigns, Princes, and Nobles of Europe (em inglês). Londres: Burke's Peerage. p. 10. ISBN 9780850110289 
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.