Maria Antónia das Duas Sicílias

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Maria Antónia
Princesa de Nápoles e Sicília
Princesa de Bourbon-Duas Sicílias
Arquiduquesa da Áustria
Retrato de cerca de 1836 por Giuseppe Bezzuoli.
Grã-duquesa da Toscana
Reinado 7 de junho de 183321 de julho de 1859
Antecessor(a) Maria Ana da Saxónia
Sucessor(a) Alice de Bourbon-Parma
 
Cônjuge Leopoldo II, grão-duque da Toscana
Descendência Maria Isabel da Áustria
Fernando IV da Toscana
Maria Teresa da Áustria, Princesa da Toscana
Maria Cristina da Áustria
Carlos Salvador da Áustria
Maria Ana da Áustria
Rainier da Áustria
Maria Luísa da Áustria
Luís Salvador da Áustria
João Salvador da Áustria
Casa Bourbon-Duas Sicílias
Habsburgo-Lorena
Nascimento 19 de dezembro de 1814
  Palácio Real de Palermo, Itália
Morte 7 de novembro de 1898 (83 anos)
  Gmuden, Áustria-Hungria
Pai Francisco I das Duas Sicílias
Mãe Maria Isabel de Espanha


Maria Antónia Ana das Duas Sicílias (em italiano: Maria Antonia Anna di Borbone-Due Sicilie; 19 de dezembro de 18147 de novembro de 1898), foi grã-duquesa da Toscana de 1833 a 1859.

Biografia[editar | editar código-fonte]

A princesa nasceu no Palácio Real de Palermo no dia 19 de dezembro de 1814, sendo filha do rei Francisco I das Duas Sicílias e da sua esposa, a infanta Maria Isabel de Bourbon. Foi baptizada de Maria Antónia em honra da rainha Maria Antonieta da França, a irmã falecida da sua avó, a arquiduquesa Maria Carolina da Áustria.

Quando ela nasceu, a corte napolitana já se tinha mudado para a Sicília devido às tropas napoleónicas que ocupavam a zona territorial do reino. Após alguns meses de exílio a família real pôde regressar a Nápoles graças ao Congresso de Viena.

Ela era muito chegada ao seu irmão mais velho, o futuro rei Fernando II das Duas Sicílias a quem chamava carinhosamente de Toto. Era também muito chegada à sua cunhada, a princesa Maria Cristina de Saboia, que chegou à corte em 1832.

Descendência[editar | editar código-fonte]

Maria Antónia

Em 1833, quando tinha 18 anos, Maria Antónia casou-se com Leopoldo II, Grão-duque da Toscana, dezassete anos mais velho do que ela. Eles eram primos directos, visto que o pai de Maria era irmão da mãe de Leopoldo. Os dois tiveram dez filhos:

A Piazza Maria Antonia (actual Praça da Independência) em Florença foi baptizada em sua honra, assim como a linha de comboio Maria Antónia e a estação com o mesmo nome, agora chamada de Firenze Santa Maria Novella.

A revolução[editar | editar código-fonte]

Em abril de 1859, antes da Franco-Austríaca, Leopoldo II proclamou neutralidade, mas o governo grão-ducal já estava próximo do fim: a população recorria a insultos vulgares dirigidos à grã-duquesa e as tropas davam sinais de insubordinação.

No dia 27 de abril, às quatro horas, uma multidão furiosa invadiu as ruas de Florença juntamente com tropas revolucionárias. Leopoldo II deixou o seu palácio de carroça, saindo pela porta Boboli em direcção a Bolonha. Tinha acabado de se recusar a abdicar em favor do seu filho Fernando.

Títulos e estilos[editar | editar código-fonte]

  • 19 de dezembro de 1814 – 12 de dezembro de 1816: Sua Alteza Real Princesa Maria Antónia de Nápoles e Sicília
  • 12 de dezembro de 1816 – 7 de junho de 1833: Sua Alteza Real Princesa Maria Antónia de Bourbon-Duas Sicílias
  • 7 de junho de 1833 – 21 de julho de 1859: Sua Alteza Imperial e Real a Mais Serena Grã-duquesa da Toscana, Arquiduqesa da Áustria, etc.
  • 21 de julho de 1859 – 7 de novembro de 1898: Sua Alteza Imperial e Real a Mais Serena Grã-duquesa Viúva da Toscana

Honras[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Maria Antónia das Duas Sicílias