Ordem da Cruz Estrelada

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ordem da Cruz Estrelada

A Ordem da Cruz Estrelada (ou Ordem da Cruz Estrela; em alemão: Sternkreuz-Orden) foi uma Ordem de Cavalaria criada por Eleanora Gonzaga de Mântua, Imperatriz do Sacro Império Romano-Germânico, em 1668. A Ordem, exclusiva para mulheres, foi confirmada pelo Papa Clemente IX, em 28 de Junho de 1668, e ficou sob a gestão espiritual do Príncipe Bispo de Viena. Apenas senhoras de nobreza poderiam ser investidas na Ordem, como princesas, condessas e outros títulares de nobreza. Quando investidas, os membros tinham como missão "dedicarem-se ao serviço, e oração, da Santa Cruz, e levar uma vida de virtude no exercício da religião e trabalhos de caridade".

De acordo com a lenda, a Casa de Habsburgo detinha uma parte da Vera Cruz que susteve Jesus Cristo, durante a sua crucificação. Embora não seja possível provar a sua autenticidade, a relíquia sagrada era feita de ouro e usada por, pelo menos, dois Imperadores romanos: Maximiliano II e Fernando III. A última esposa de Fernando III, Eleanora, recebeu a relíquia, entregue pelo seu sobrinho Leopoldo I, após a morte de Fernando. No rescaldo de um incêndio no Palácio Imperial de Hofburg, em 2 de Fevereiro de 1668, a relíquia foi encontrada em perfeita condições. A Imperatriz criou a Ordem para celebrar este acontecimento, pois acreditava que se devia a um milagre.

Os membros da Ordem usavam a seguinte insígnia:

Um medalhão oval, com um bordo em azul-esmalte, com uma águia negra-esmalte com duas cabeças, e garras, ambas em ouro, e uma cruz em ouro, verde-esmalte, e com um contorno em castanho. Por cima,, num fundo branco, o lema Salus et Gloria (Viva e Glória). É usado pentende de uma fita preta, no lado esquerdo do peito.

Ordem da Cruz Estrelada

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Tagore, Rajah Sir Sourindro Mohun. The Orders of Knighthood, British and Foreign. Calcutá: The Catholic Orphan Press, 1884.