Carolina Augusta das Duas Sicílias

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Carolina Augusta
Princesa das Duas Sicílias
Duquesa de Aumale
Retrato por Franz Xaver Winterhalter, 1846
Marido Henrique, Duque de Aumale
Descendência Luís Filipe, Príncipe de Condé
Casa Bourbon-Duas Sicílias (por nascimento)
Orleães (por casamento)
Nome completo
Maria Carolina Augusta
Nascimento 26 de abril de 1822
  Viena, Império Austríaco
Morte 6 de dezembro de 1869 (47 anos)
  Twickenham, Londres, Inglaterra
Enterro Capela Real, Dreux, França
Pai Leopoldo, Príncipe de Salerno
Mãe Clementina da Áustria
Religião Catolicismo

Maria Carolina Augusta (Viena, 26 de abril de 1822 - Twickenham, 6 de dezembro de 1869) foi uma princesa das Duas Sicílias pelo nascimento e Duquesa de Aumale por casamento.

Início de vida[editar | editar código-fonte]

Maria Carolina Augusta nasceu em Viena em 26 de Abril de 1822, como a única filha sobrevivente de príncipe Leopoldo, Príncipe de Salerno e de sua esposa a arquiduquesa Clementina da Áustria, filha de Francisco I da Áustria e Maria Teresa da Sicília, Carolina era também sobrinha de Maria Leopoldina da Áustria, Imperatriz do Brasil.

Apelidada de "Lina" desde o seu nascimento, a princesa passou os primeiros anos de sua vida sob a supervisão de sua mãe na corte imperial austríaca em Viena onde oficialmente debutou e foi apresentada à sociedade. Quando adolescente, ela retornou com sua família para Nápoles.

Casamento[editar | editar código-fonte]

Carolina em 1842, no Musée Condé

Na década 1840 não havia muitas princesas que estavam em idade de casar, por isso, Carolina teve vários pretendentes para sua mão, entre eles seu primo-irmão, o imperador Pedro II do Brasil, por fim o imperador acabaria por se casar com a prima de Carolina, a princesa Teresa Cristina das Duas Sicílias. O pretendente escolhido foi Henrique de Orleães, Duque de Aumale, quinto e segundo mais jovem filho do rei Luís Filipe I de França e de sua esposa Maria Amélia das Duas Sicílias, Henrique se impressionou por Carolina durante uma estadia em Nápoles. As negociações do casamento começaram no final de agosto de 1844, e já no dia 17 de setembro do mesmo ano, na Revue de Paris, o noivado foi anunciado oficialmente.

O casamento teve lugar em 25 de novembro 1844 em Nápoles, a pedido do noivo, embora os sogros de Carolina terem preferido que o o casamento tivesse sido celebrado em Paris. O casamento civil, foi realizado no Palácio Real de Nápoles, e no mesmo dia a cerimônia religiosa foi celebrado com grande pompa. A noiva recebeu a grande quantidade de 517.000 francos-ouro como dote.

As festividades por ocasião do casamento duraram mais de duas semanas. Carolina viajou em 02 de dezembro de 1844 junto com seu marido para Toulon. De lá, os recém-casados ​​tiveram uma grande recepção na cidade de Paris, onde se instalaram no Palácio das Tulherias.

Exílio e morte[editar | editar código-fonte]

Após a Revolução de Fevereiro de 1848, a família Orleães foi para o exílio na Inglaterra e por decreto de 16 de maio de 1848, permanentemente banida da França. Carolina seguiu o marido e eles temporariamente mudaram-se para Claremont House. Ficaram endividados ao ponto que Carolina teve que vender peças de suas jóias preciosas para a sua sobrevivência.

Carolina tornou-se amiga íntima da Rainha Vitória, que deu ela e sua família a chamada "Orleans House" em Twickenham, no subúrbio de Londres, onde fixou residência em 16 de abril de 1852. Carolina também passava muito de seu tempo em sua propriedade em Norton Hall.

A morte inesperada de seu filho mais velho em 1866 mergulhou Carolina em uma depressão profunda da qual nunca se recuperou totalmente. Após seis semanas enferma, ela morreu em 06 de dezembro de 1869 aos quarenta e sete anos de idade de tuberculose. Foi enterrada em 10 de dezembro na Capela Católica de Weybridge. Em 1876 seus restos mortais foram transladados para a Capela Real de Dreux.

Descendência[editar | editar código-fonte]

De seu casamento com Henrique, Duque de Aumale teve os seguintes filhos:[1][2]

  1. Luís Filipe, Príncipe de Condé (15 de novembro de 1845 - 24 de maio de 1866) Morreu jovem e sem descendência.
  2. Henrique Leopoldo, Duque de Guise (11 de Setembro de 1847 – 10 de Outubro de 1847) Morreu na infância.
  3. Filha natimorta (1849)
  4. Francisco Paulo, Duque de Guise (11 de Janeiro de 1852 – 15 de Abril de 1852) Morreu jovem e sem descendência.
  5. Francisco Luís, Duque de Guise (15 de Janeiro de 1854 – 25 de Julho de 1872) Morreu jovem e sem descendência.
  6. Filho natimorto (15 de Junho de 1861)
  7. Filho natimorto (Junho de 1864)

Títulos, estilos e honras[editar | editar código-fonte]

  • 26 de abril de 1822 - 25 de novembro de 1844: "Sua Alteza Real, a princesa Maria Carolina Augusta das Duas Sicílias"
  • 25 de novembro de 1844 - 6 de dezembro de 1869: "Sua Alteza Real, a Duquesa de Aumale, Princesa da França"

Ancestrais[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Jirí Louda, Michael MacLagan: Lines of Succession: Heraldry of the Royal Families of Europe, 2nd edition. Little, Brown and Company, London 1999, vol. 70.
  2. Hugh Montgomery-Massingberd (ed.): Burke’s Royal Families of the World, vol 1: Europe & Latin America. Burke’s Peerage Ltd., London 1977, p. 92.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Raymond Cazelles: Le duc d’Aumale. Prince aus dix visages. Tallandier, Paris 1984, ISBN 2-235-01603-0, pp. 98–115, 279–282.
  • Alfred-Auguste de Cuvillier-Fleury: Marie-Caroline Auguste de Bourbon, duchesse d’Aumale, 1822–1869. C. Lahure, Paris 1870. online
  • Eric Woerth: Le duc d’Aumale. L'étonnant destin d’un prince collectionneur. L’Archipel, Paris 2006, ISBN 2-84187-839-2, pp. 65–82.
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Carolina Augusta das Duas Sicílias