Helena de Mecklemburgo-Schwerin

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Helena
Duquesa de Mecklemburgo-Schwerin
Retrato por Franz Xaver Winterhalter, 1840
Duquesa de Orleães
Reinado 30 de maio de 1837
a 13 de julho de 1842
Predecessora Maria Amélia das Duas Sicílias
 
Marido Fernando Filipe, Duque de Orleães
Descendência Luís Filipe, Conde de Paris
Roberto, Duque de Chartres
Casa Mecklemburgo-Schwerin
Orleães
Nome completo
Helena Luísa Isabel
Nascimento 24 de janeiro de 1814
  Palácio de Ludwigslust, Ludwigslust, Mecklemburgo-Schwerin
Morte 17 de maio de 1858 (44 anos)
  Richmond upon Thames, Londres, Inglaterra
Enterro Capela Real, Dreux, França
Pai Frederico Luís, Grão-Duque Hereditário de Mecklemburgo-Schwerin
Mãe Carolina Luísa de Saxe-Weimar-Eisenach
Religião Luteranismo

Helena Luísa Isabel de Mecklemburgo-Schwerin (Palácio de Ludwigslust, 24 de janeiro de 1814Richmond upon Thames, 18 de maio de 1858), foi duquesa de Mecklemburgo-Schwerin e, por casamento, duquesa de Orleães e princesa real de França.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Primeiros anos[editar | editar código-fonte]

Filha de Frederico Luís, Grão-Duque Hereditário de Mecklemburgo-Schwerin, herdeiro do Grão-Ducado de Mecklemburgo-Schwerin e de sua segunda esposa, a princesa Carolina Luísa de Saxe-Weimar-Eisenach, Helena nasceu no Palácio Ludwigslust, em Mecklemburgo, onde sua mãe morreu quando ela contava somente dois anos de idade.

Casamento e filhos[editar | editar código-fonte]

Após receber propostas de muitos pretendentes, Helena foi finalmente escolhida para desposar o príncipe herdeiro francês. Foi uma aliança conveniente, pois a duquesa era sobrinha de Frederico Guilherme III da Prússia e pertencia a uma das dinastias mais antigas da Europa.

Casou-se em 30 de maio de 1837, no Palácio de Fontainebleau, com o filho mais velho do rei Luís Felipe I e da rainha Maria Amélia, o príncipe real e duque de Orléans Fernando Felipe de Orléans. O casal teve dois filhos:

Helena
Por Heinrich Pommerencke, c. 1850

Os duques de Orléans tiveram um casamento feliz, embora as ideias liberais e a fé protestante de Helena tenham sido motivo de preocupação para a rainha Maria Amélia (católica dedicada). A felicidade conjugal chegou ao fim em 13 de julho de 1842, com a morte prematura do príncipe num acidente de carruagem em Neuilly-sur-Seine. Em sua precoce viuvez a princesa passou a dedicar-se exclusivamente aos filhos.

Exílio[editar | editar código-fonte]

Com a Revolução de 1848, Luís Felipe foi obrigado a abdicar do trono e seguir com toda a família real para o exílio na Inglaterra. Imediatamente a duquesa de Orléans dirigiu-se à assembleia com seus dois filhos e seu cunhado, o Luís, Duque de Némours, para que seu primogênito fosse proclamado rei dos franceses. Consciente de sua impopularidade, o duque de Nemours concordou que sua cunhada exercesse a regência durante a menoridade de seu sobrinho. Entretanto a tentativa da duquesa fracassou e a assembleia proclamou a Segunda República Francesa.

Helena seguiu com seus filhos para a Alemanha, iniciando um longo período de exílio, sem abandonar suas convicções políticas nem deixar de reclamar os direitos de seu filho ao trono. Suas atitudes impediram, durante muito tempo, a reconciliação entre os príncipes de Orléans e o pretendente legitimista ao trono (Henrique, Conde de Chambord), aumentando a divisão entre os monarquistas franceses.

Morte[editar | editar código-fonte]

Tumbas dos Duques de Orléans na Capela Real de Dreux

A duquesa de Orléans morreu em 18 de maio de 1858, aos quarenta e quatro anos, devido as complicações de uma gripe que contraiu enquanto cuidava de seu filho mais novo, o duque de Chartres, durante uma viagem à Inglaterra.

Por ser protestante, Helena não poderia ser sepultada na Capela Real de Dreux, onde repousam os restos mortais dos membros da família real francesa. A solução encontrada foi a construção de um anexo à capela, onde o túmulo da duquesa foi erguido. A construção comunica-se com o túmulo do duque de Orléans por uma espécie de janela e a escultura da princesa protestante descansa sobre a tumba, exibindo-a tentando alcançar a tumba de seu marido.

Títulos e estilos[editar | editar código-fonte]

  • 24 de janeiro de 1814 – 30 de maio de 1837: Sua Alteza duquesa Helena de Mecklemburgo-Schwerin
  • 30 de maio de 1837 – 13 de julho de 1842: Sua Alteza Real a Duquesa de Orleães
  • 13 de julho de 1842 – 17 de maio de 1858: Sua Alteza Real a Duquesa Viúva de Orleães

Referências

Helena com o seu filho Luís Filipe em 1839 por Franz Xaver Winterhalter.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Volkmann, J.: Généalogie des rois et des princes . Edit Jean-Paul Gisserot (1998)
  • Perrin, G.P.: Les Orléans, une famille en quête d'un trône. (1999)
  • Hélène de Mecklembourg-Schwerin; Madame la duchesse d'Orléans; Nouvelle édition. Paris: Michel Lévy (1859)
  • d'Harcourt geb. Gräfin Saint-Aulaire: Die Herzogin von Orleans, Helene von Mecklenburg-Schwerin. Ein Lebensbild. Berlin 1859
  • Hélène d'Orléans, duchesse d'Orléans, Lettres originales de Madame la duchesse d'Orléans : Hélène de Mecklenbourg-Schwerin et souvenirs biographiques recueillis par G.H. De Schubert, Paris, Genève, Éditions H. Goerg et Paris, Éditions Magnin, 1859
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Helena de Mecklemburgo-Schwerin
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.