Filipe Faria

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Filipe Faria
Nascimento 11 de fevereiro de 1982 (35 anos)
Lisboa,  Portugal
Ocupação Escritor
Influências
Prémios Prémio Branquinho da Fonseca Expresso/Gulbenkian (2001)
Magnum opus Crónicas de Allaryia – A Manopla de Karasthan

Filipe Faria (Lisboa, 11 de fevereiro de 1982) é um escritor português de literatura fantástica.[2]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filipe Faria frequentou a Escola Alemã de Lisboa desde o jardim de infância até completar o 12º ano de escolaridade.

As «Crónicas de Allaryia» assinalam a sua estreia no mundo literário. Em 2001 vence o Prémio Branquinho da Fonseca, pela Fundação Calouste Gulbenkian e Jornal Expresso. Em 2002 ganha o Prémio Matilde Rosa Araújo - Revelação na Literatura Infantil e Juvenil.

Obras[editar | editar código-fonte]

Série Crónicas de Allaryia[editar | editar código-fonte]

Coleção Felizes Viveram Uma Vez[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Prémio Branquinho da Fonseca Expresso/Gulbenkian» (PDF). Fundação Calouste Gulbenkian. p. 11. Consultado em 3 de setembro de 2014 
  2. «Filipe Faria. Sozinho construiu um mundo e vendeu 60.000 livros». i. 16 de março de 2011. Consultado em 3 de setembro de 2014 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) escritor(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.