Freaks

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outras acepções, veja Freak.
Freaks
A Parada dos Monstros (PT)
Monstros (BR)
 Estados Unidos
1932 •  cor •  64 min 
Direção Tod Browning
Roteiro Willis Goldbeck
Tod Robbins
Elenco Wallace Ford
Leila Hyams
Olga Baclanova
Idioma inglês, alemão
Página no IMDb (em inglês)

Freaks é um filme norte-americano de terror, produzido em 1932, dirigido por Tod Browning.

Sinopse

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.[editar | editar código-fonte]

Uma bela trapezista chamada Cleópatra, mesmo se relacionando com Hércules, o homem-forte do circo, seduz e se casa com um anão chamado Hans, herdeiro de uma enorme fortuna. Na recepção do casamento as outras figuras estranhas do circo decidem aceitá-la na família, cantando: "We accept you, one of us!"(Nós te aceitamos, uma de nós!), querendo dizer que agora ela pertence ao grupo. Cleópatra, embriagada, mostra a sua repugnância e expulsa-os da cerimônia. Hans percebe seu erro quando ela e Hércules se beijam na sua frente.

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Olga Baclanova em outro cartaz do filme

Gênese do filme[editar | editar código-fonte]

Na sequência do sucesso de Frankenstein, de James Whale, produzido pela rival Universal, Irving Thalberg (o patrão da MGM Studios) terá pedido ao argumentista Willis Goldbeck "qualquer coisa ainda mais horrível que Frankenstein" e terá sido presenteado com o argumento de Freaks[1] . A escolha de Tod Browning para dirigir o filme é posterior e Thalberg teve de lutar contra as objecções de Louis B. Mayer e do pessoal do estúdio, desagradado por ter de conviver com as criaturas disformes que interpretam a película. O orçamento disponibilizado foi considerável, atendendo ao facto de se tratar de um filme que não tinha atores conhecidos no elenco.

Reações ao filme[editar | editar código-fonte]

"Todos os que consideram isto diversão mereciam ser enfiados no serviço de patologia de um qualquer hospital"[2] .

"Atroz e fascinante obra-prima, pela primeira vez no écran um realizador ousava dirigir nada menos que fenômenos de feira, em carne e osso: a mulher-aranha, o homem-tronco, as irmãs siamesas, anões e restante galeria de pequenos monstros. E, no entanto, nesse assombroso filme os monstros são outros... a bela Cleópatra e o atlético Hércules, imagens da força e da beleza, personagens "normais", mas de comportamento repugnante"[3] .

Cultura popular[editar | editar código-fonte]

  • Um especial de horror de Os Simpsons foi exibido no aniversário de 51 anos da morte de Tod Browning (2013) e um dos episódios parodia o filme.

Referências

  1. Leitão-Ramos, Jorge (31 de dezembro de 1992). Noite de vingança. Expresso.
  2. artigo escrito em 1932 no jornal americano Harrison's Report.
  3. Romer, Jean-Claude, citado por Borges, Pedro (29 de maio de 1984). Tod Browning: "Freaks", o circo e o fantástico. Jornal de Letras, Artes e Ideias.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]